Sete mortos e mais de 10 pessoas presas em escombros devido a sismo em Taiwan

Sete mortos e mais de 10 pessoas presas em escombros devido a sismo em Taiwan

 

Lusa / AO online   Internacional   6 de Fev de 2016, 10:56

As autoridades de Taiwan revelaram que subiu para sete o número de mortos resultantes do sismo que hoje atingiu a cidade de Tainan, a sul de Taiwan, e que mais de 10 pessoas continuam presas em escombros de prédios.

 

O sismo de 6,4 graus na escala de Richter hoje registado em Tainan também provocou mais de 400 feridos, referiu o Serviço Nacional de Emergências de Taiwan, que explicou que as equipas de bombeiros e militares continuam a resgatar os cerca de 10 sobreviventes presos nos escombros.

A maioria das vítimas mortais e dos sobreviventes que ficaram presos nos escombros estavam no edifício de 17 andares Wei Kunan, o mais atingido entre os 14 que desmoronaram ou que ficaram seriamente danificados devido ao sismo.

Um dos bombeiros que participa no resgate sublinhou que o número de pessoas presas nos escombros, calculado no início por testemunhos de residentes, que apontaram para cerca de uma centena, foi revisto em baixa com base em novos dados.

Uma das vítimas mortais é uma bébé de apenas dez dias e no local do sinistro alternam cenas de alegria, como a de uma mulher que presenciou o regate do marido, com as de angustia, como o caso de uma mulher que não sabia nada dos seus dois filhos.

"Se não os tirarem, eu vou à procura deles", afirmou a mãe aos gritos.

Um pai de família, com apelido de Hu, recuperou as esperanças de voltar a ver os filhos quando os bombeiros resgataram o gato da casa e, efetivamente, pouco depois foram retirados cok vida os seus dois filhos.

"Tinha a certeza que o gato estava com os meus filhos", afirmou Hu.

O panorama em Tainan é devastador, com edifícios desmoronados, outros com andares destruídos e alguns inclinados e com as estruturas danificadas, fugas de gás e interupção de fornecimento de eletricidade.

O sismo deixou 168.000 lares sem fornecimento de eletricidade e 40.000 sem água e uma estação de gasolina localizada à frente de um edifício danificada foi evacuada e o combustível retirado devido ao perigo de derrocada.

Vários automóveis e motociclos ficaram por baixo dos edifícios e gretas no terreno, algumas com mais de dois metros, abriram num campo de golfe de Tainan.

O comboio de alta velocidade que une o sul ao norte da ilha interrompeu os serviços num dia em muitos residentes de Taiwan se deslocam para celebrar com familiares o Ano Novo Lunar, cuja passagem se celebra na noite deste domingo.

O Presidente de Taiwan, Ma Ying-jeou, revelou que estão a ser preparadas 1.200 camas em escolas e outros locais para acolher temporariamente os afetados.

Entretanto, os sismólogos de Taiwan advertiram que ainda se esperam mais sismos de mais de seis graus na escala de Richter na ilha este ano, sem afastar a hipótese que estes ocorram nas próximas semanas.

O epicentro do sismo, de 6,4 graus na escala de Richter, foi localizado na aldeia de Meinung, a sul de Taiwan, a uma profundidade de 16,7 quilómetros, às 03:57 de sábado (cerca das 20:00 de sexta-feira em Lisboa), a 39 quilómetros a nordeste de Kaohsiung, a segunda maior cidade da ilha que tem um porto importante.

A magnitude do sismo foi inicialmente calculada em 6,7 graus na escala de Richter, mas as autoridades reviram depois para 6,4.

Taiwan está próxima de duas placas tectónica e é atingida com regularidade por abalos sísmicos.

Em junho de 2013, um abalo com magnitude 6,3 atingiu o centro da ilha e provocou quatro mortes e deslizes de terra generalizados.

Em setembro de 1999 um abalo de magnitude 7,6 provocou cerca de 2.400 mortos.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.