Serviços das lojas do cidadão poderão estar disponíveis nas boxes de televisão por cabo

Serviços das lojas do cidadão poderão estar disponíveis nas boxes de televisão por cabo

 

Lusa/AOonline   Nacional   27 de Nov de 2012, 13:35

O Governo está a negociar a disponibilização de serviços prestados em lojas do cidadão nas boxes dos operadores de televisão por cabo, anunciou hoje o secretário de Estado Feliciano Barreiras Duarte.

 

Segundo o governante, que tutela a pasta da modernização administrativa, o objetivo é disponibilizar "vários serviços" em rede para "facilitar a vida ao cidadão e a empresas".

"Cerca de 70 % dos portugueses já têm televisão por cabo e, do ponto de vista tecnológico, a ideia é que no conforto do seu lar, no intervalo de um filme ou de um jogo de futebol, possa pedir uma certidão ou fazer um pagamento", explicou o secretário de Estado Adjunto do Ministro-Adjunto.

O governante falava à agência Lusa em Ponte de Lima, no final de uma reunião, hoje, com os autarcas do Alto Minho, na qual apresentou as várias soluções que estão a ser estudadas para reforçar a rede de serviços prestados pelas lojas do cidadão.

"Está já a ser trabalhado, há algum tempo, com a Portugal Telecom, através da MEO", acrescentou Feliciano Barreiras Duarte, embora sem referir prazos para a disponibilização destes serviços através dos operadores de televisão por cabo.

Está ainda prevista a disponibilização de alguns destes serviços, que envolvem nomeadamente os ministérios da Justiça, Obras Públicas, Finanças e Saúde, na rede de caixas multibanco.

Já a partir de 2013, o Governo prevê avançar com a instalação de "quiosques do cidadão", projeto que envolve os municípios e que permitirá disponibilizar "muitos dos serviços" prestados nas atuais 36 lojas do cidadão espalhadas pelo país.

"Trata-se de minilojas do cidadão, com custos muito mais baixos. Enquanto as lojas do cidadão têm custado entre 700 mil a um milhão de euros por ano, estes quiosques do cidadão não vão custar mais de 30 mil euros, assegurando a quase totalidade dos serviços disponíveis na rede das lojas", sublinhou.

Segundo Feliciano Barreiras Duarte, já foram recebidos cerca de 100 pedidos de instalação destes quiosques, num projeto que envolverá fundos comunitários, sendo a componente nacional suportada pelos municípios que aderirem.

Estes equipamentos, a instalar sobretudo em concelhos de pequena e média dimensão, deverão incorporar serviços de vários ministérios da administração pública central que estão a ser alvo de "racionamento", ao abrigo do memorando de entendimento com a ‘troika', explicou ainda o governante

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.