Segurança nuclear nunca é "dado adquirido"

Segurança nuclear nunca é "dado adquirido"

 

Lusa/AO online   Internacional   26 de Abr de 2016, 15:18

A segurança nuclear nunca é um "dado adquirido", lembrou esta terça-feira o secretário-geral da Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA), Yukiya Amano, a propósito do 30º aniversário da catástrofe de Chernobyl.

 

“A principal lição de Chernobyl e de Fukushima Daiichi para todos os atores do nuclear – operadores, governantes e reguladores – é que a segurança nunca pode ser considerada como um dado adquirido”, declarou Amano num comunicado.

“Os acidentes podem ignorar as fronteiras e é vital uma cooperação internacional eficaz em termos de segurança nuclear”, sublinhou.

A 26 de abril de 1986, o centro da central ucraniana de Chernobyl entrou em fusão, fazendo milhares de mortos e contaminando uma parte da Europa.

Na sequência da catástrofe, a pior na história do nuclear civil, a comunidade internacional reforçou os critérios de segurança nuclear.

Mas “apesar das melhorias aplicadas após a catástrofe de Chernobyl, o mundo foi confrontado com um outro acidente grave, na central de Fukushima Daiichi em 2011”, no Japão, lembrou Amano.

“Isto lembrou-nos que a dor dum um acidente grave pode acontecer mesmo num país tecnologicamente avançado e com um programa nuclear maduro”, assinalou.

A organização Greenpeace alertou a semana passada para um risco nuclear acrescido devido ao envelhecimento do parque mundial, sobretudo no ocidente onde a maioria das centrais foram concebidas nos anos 1960 e 1970.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.