Secretário regional da Agricultura dos Açores desvaloriza acusações de deputado do PPM

Economia /
João Ponte

1591 visualizações   

O secretário regional da Agricultura nos Açores, João Ponte, adiantou hoje que continuará no executivo de Vasco Cordeiro enquanto este entender, depois de o deputado do PPM (Partido Popular Monárquico) o ter considerado "um problema político"
 

"Estarei neste projeto, estarei no Governo enquanto o senhor presidente entender que tenho condições para tal, portanto não me preocupa aquilo que o PPM ou o senhor deputado do PPM pensa sobre mim, da avaliação que faz de mim, o que me preocupa é trabalhar todos os dias para o melhor do setor, para o melhor da agricultura e junto dos agricultores, e isso não vou deixar de fazer goste ou não goste o senhor deputado do PPM", disse João Ponte acerca das acusações de Paulo Estevão.

O responsável máximo pela agricultura nos Açores falava hoje aos jornalistas, no recinto da feira em Santana, na Ribeira Grande, na ilha de São Miguel, no âmbito das comemorações do Dia Nacional da Agricultura, onde salientou que o executivo açoriano "governa para os Açores" e não para o "deputado do PPM".

"O senhor deputado do PPM tem a sua posição, que nós respeitamos, mas eu não governo e o Governo não governa para o deputado do PPM. O Governo governa para os Açores. No caso da agricultura, governamos para todos os agricultores e para todo este setor e é isso que eu vou continuar a fazer, independentemente daquilo que o senhor deputado pense sobre mim", disse.

A reação de João Ponte surge na sequência do deputado do PPM, Paulo Estevão ter considerado esta semana que o secretário regional da Agricultura e Florestas representar, atualmente, um "problema político", porque já não consegue "controlar" as críticas da lavoura.

Paulo Estevão falava no parlamento açoriano na sequência do PSD, através do deputado António Almeida, ter denunciado que "há explorações agrícolas no arquipélago à beira da falência" e ter acusado o executivo regional de "não pagar a tempo e horas".

António Almeida falava no âmbito de uma interpelação ao Governo dos Açores, sobre a "crise" no setor agrícola regional, que decorreu na última quarta-feira na Assembleia Legislativa Regional dos Açores.