Secretário apela a consenso social e político nos Açores para combater insucesso escolar

Secretário apela a consenso social e político nos Açores para combater insucesso escolar

 

Lusa/AO Online   Regional   17 de Nov de 2014, 13:16

O secretário regional da Educação dos Açores defendeu hoje que o "êxito" do Plano Integrado de Promoção do Sucesso Escolar na região dependerá de um "consenso social e político", reafirmando que existe em 2015 um reforço das dotaçoes para a Educação.

“Mais do que o abandono escolar precoce, o insucesso escolar é o principal problema, é o principal flagelo do Sistema Educativo Regional. Um problema que coloca os Açores numa posição de desvantagem até por comparação com a Madeira e com o continente”, disse Avelino Meneses.

O secretário regional da Educação e Cultura falava na reunião do Conselho Coordenador do Sistema Educativo e da Comissão Permanente das Unidades Orgânicas do Ensino Público, em Ponta Delgada, onde reiterou que o executivo açoriano está a preparar este Plano Integrado de Promoção do Sucesso Escolar para que entre em vigor no ano letivo 2015/2016.

Avelino Meneses explicou que a metodologia deste plano reside no “estabelecimento de um consórcio de esforços entre técnicos da Secretaria Regional da Educação e Cultura, entre gestores e docentes das escolas, especialistas da educação pertencentes aos quadros de diversas universidades" quer da região quer do exterior.

“O objetivo da criação deste plano reside na necessidade do cumprimento das metas da denominada estratégia 20/20, que obriga à erradicação do abandono escolar precoce e à contenção do insucesso escolar. Uma vez organizado, o êxito de um plano desta natureza dependerá de um consenso social e político que se encontrará, disto estou certo, em devido tempo”, sublinhou, lembrando que o executivo regional tem-se “desdobrado” em "meios de intervenção, remédios, pensos e mezinhas" para enfrentar o "flagelo" do insucesso escolar.

A cerca de uma semana da discussão parlamentar do Plano e Orçamento dos Açores para 2015, Avelino Meneses reafirmou que "a Educação, a Cultura e o Desporto constituem prioridades do Governo dos Açores" e terão "um acréscimo de 13%" na sua dotação. No caso da Educação, serão mais de oito milhões de euros, "equivalente a um acréscimo de 18%", para concluir investimentos no parque escolar e combater o insucesso e o abandono escolar precoce.

"No conjunto, em matéria de investimento, a Secretaria, na transição de 2014 para 2015, passa de 71.583.65 euros para 80.961.987 euros", indicou.

Avelino Meneses disse também que "não é verdade" que o Governo Regional "esteja desatento à perigosidade do amianto em construções escolares", indicando que este ano o executivo procedeu “ao estudo da monitorização do ar em três escolas de São Miguel", nomeadamente na Canto da Maia, Arrifes e Capelas.

Segundo o secretário regional da Educação, "não foram detetadas partículas em suspensão a não ser em poucas salas das Capelas", na sequência de análises num laboratório dos EUA.

"Detetaram-se nalgumas salas das Capelas partículas de amianto em valores muito, muito inferiores aos mínimos considerados perigosos", disse ainda.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.