Schäuble diz que se Reino Unido sair deixará de ter benefícios no mercado único europeu

Schäuble diz que se Reino Unido sair deixará de ter benefícios no mercado único europeu

 

LUSA/AO Online   Economia   10 de Jun de 2016, 16:04

O ministro das Finanças da Alemanha, Wolfgang Schäuble, alertou hoje que em caso de "brexit, o Reino Unido não poderá mais desfrutar dos benefícios do mercado único europeu.

O ministro das Finanças da Alemanha, Wolfgang Schäuble, alertou hoje que em caso de "brexit, o Reino Unido não poderá mais desfrutar dos benefícios do mercado único europeu. “O país deve respeitar as regras de um clube do qual quer sair”, afirmou, antes de insistir que “dentro é dentro” e “fora é fora”. Se os cidadãos apostam em sair da União Europeia (UE), afirmou Schäuble, o país não poderá a seguir desfrutando dos benefícios do mercado único, como fazem agora Noruega e Suíça, que estão fora do bloco. Schäuble, acredita que se o Reino Unido votar a favor da saída de União Europeia (UE), a reposta dos restantes países não pode ser mais integração europeia. “Seria estranho, muitos se perguntariam, com razão, se os políticos ainda não entenderam”, disse o ministro alemão. “Como resposta ao ‘brexit’ (termo usado para o risco da saída do Reino Unido da União Europeia), não poderíamos exigir simplesmente mais integração”, afirmou o ministro alemão em declarações para a edição digital do semanário alemão Der Spiegel. Na sua opinião, se os britânicos decidirem no referendo do dia 23, com uma maioria apertada, continuar na União Europeia, os políticos estarão também obrigados a interpretar o resultado como “uma chamada de atenção” e uma “advertência” de que não se pode continuar pelo mesmo caminho. No entanto, não teme pela continuidade da União Europeia. “Em última instância, a Europa vai funcionar, mesmo sem o Reino Unido”, assegurou. Schäuble assumiu que a saída do Reino Unido poderia ter repercussões negativas para o resto dos membros da UE, mas assegurou que os ministros do Eurogrupo farão “todo o possível para limitar essas consequências”. “Estamos preparando-nos para todos os cenários possíveis para conter os riscos”, insistiu. Um dos riscos é de que outros países decidam seguir o mesmo caminho do Reino Unido, algo que, na sua opinião, “não se pode descartar”. O ministro alemão pergunta-se, por exemplo, por uma eventual reação diante de um ‘brexit’ da Holanda, um país “tradicionalmente muito ligado ao Reino Unido”. Os britânicos, referiu o ministro alemão, vão sofrer também consequências desse referendo, já que o país está estreitamente unido aos seus parceiros, sendo “um milagre o Reino Unido não sofrer prejuízos económicos com a sua saída” da UE. A chanceler alemã, Angela Merkel, disse hoje que a decisão sobre a saída do Reino Unido da União Europeia compete unicamente aos britânicos. No entanto, a chefe do Governo alemão quis deixar claro que é melhor para todos que o Reino Unido opte por permanecer no bloco.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.