SATA diz que primeiro dia de greve na empresa não ultrapassou os 57%

SATA diz que primeiro dia de greve na empresa não ultrapassou os 57%

 

LUSA/AO online   Economia   1 de Jun de 2017, 20:04

As operadoras SATA Air Açores e a Azores Airlines registaram, em termos de adesão à greve dos tripulantes de cabine, 50% e 57,3% respetivamente, o que significa que não realizaram 75 voos, segundo fonte do grupo SATA

"Em termos percentuais, a SATA Air Açores registou uma taxa de adesão à greve de 50% e a Azores Airlines 57,33%”, declarou à agência Lusa o porta-voz do grupo SATA, António Portugal.

Tripulantes de cabine da transportadora aérea SATA estão hoje e na sexta-feira em greve, convocada pelo Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), precisamente um mês depois de uma outra paralisação.

O incumprimento de vários pontos do clausulado do acordo de empresa é uma das razões apontadas para a greve, assim como a reivindicação de melhores condições de trabalho.

Devido ao pré-aviso de greve, a SATA contactou cinco mil passageiros que tinham voos previstos para hoje, “para poderem alterar as suas reservas”, informou António Portugal, assinalando que “85% optaram por alterar reservas, primeiro para os serviços mínimos e depois para outras datas”, acrescentou.

O porta-voz do grupo SATA, António Portugal, disse à agência Lusa que na SATA Air Açores, que assegura as ligações inter-ilhas, foram realizados oito voos quando estavam programados 56.

O responsável acrescentou que na Azores Airlines, que garante as ligações com o continente, América do Norte (EUA e Canadá) e Europa, estavam previstos 31 voos e foram efetuadas quatro ligações.

Bruno Fialho, dirigente do Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), declarou, por seu turno, à Lusa que a adesão à greve foi de 90%.

O sindicalista sustentou que o grupo SATA não contabilizou nos valores da greve de hoje tripulantes de cabine que se encontram de férias e folgas, "mascarando desta forma os números".

“Só furaram a greve duas pessoas, que têm cargos na empresa”, declarou Bruno Fialho, que espera mesmo um acréscimo no segundo dia de adesão à greve, que se cumpre sexta-feira.

O SNPVAC adiantou, entretanto, hoje que partiu para a impugnação dos serviços mínimos decretados para a greve dos tripulantes de cabine da transportadora aérea SATA.

"O tribunal arbitral, não querendo ser deselegante, mas talvez condicionado com a presença do Presidente da Republica nos Açores, decretou um número de serviços mínimos que nunca até hoje tinha decretado, que é um número completamente desajustado à lei e ao que são serviços mínimos. Mais de metade da operação da SATA Air Açores está a decorrer como serviços mínimos", afirmou.

O dirigente do SNPVAC recordou que não houve entendimento entre o sindicato e a administração da SATA quanto os serviços mínimos decretados para esta greve.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.