Santander Totta diz que utilização do nome e imagem do banco pelos lesados do Banif é abuso

Economia /
Banif

2047 visualizações   

O Santander Totta considerou hoje uma "situação de abuso que não pode ser aceite" a utilização pela associação de lesados do Banif do "nome, marca e imagem" do banco
 

"A própria designação da associação que os representa é estatutariamente de Associação dos Lesados do Banif, pelo que a utilização do nome, marca e imagem do banco Santander Totta nos instrumentos de comunicação da referida associação, nomeadamente no ‘site' [página na Internet], constitui uma situação de abuso que não pode ser aceite", sinaliza fonte do Santander Totta à agência Lusa.

A associação que representa os lesados do Banif (Alboa) havia denunciado ter recebido uma "carta ameaçadora" do Santander Totta a pedir para que não seja usado o "nome, marca e imagem" do banco nas comunicações dos lesados.

Os lesados dizem ter recebido uma missiva de um escritório de advogados em representação do Santander Totta referindo que a Alboa efetua referências, nomeadamente na internet, a 'Lesados Banif e Santander Totta', "sem para isso estar autorizada, lesando desta forma os direitos de propriedade industrial" do Santander Totta.

"Como é do conhecimento geral, as pessoas que subscreveram produtos de investimento junto do Banif não sofreram qualquer lesão por parte do banco Santander Totta e, portanto, não podem intitular-se lesados do Santander Totta", diz ainda fonte do banco à Lusa.

Os lesados dizem que na missiva que receberam é dado um prazo de três dias para serem "apagadas todas as referências" ao Santander Totta: "Com esta atitude o Santander Totta tenta assim limpar a sua relação com os lesados Banif e as responsabilidades morais e patrimoniais daí advindas", advogam estes clientes.

O grupo espanhol Santander adquiriu, em 20 de dezembro de 2015, um conjunto de ativos e passivos do Banif, após a medida de resolução aplicada pelo Banco de Portugal ao Banif.

Em dezembro de 2015, o Governo e o Banco de Portugal anunciaram a resolução do Banif e a venda da atividade bancária ao Santander Totta por 150 milhões de euros.

Foi ainda criada a sociedade-veículo Oitante para a qual foi transferida a atividade bancária que o Totta não adquiriu.