Operação Marquês

Salgado impedido de se ausentar para estrangeiro e de contactar outros arguidos

Salgado impedido de se ausentar para estrangeiro e de contactar outros arguidos

 

Lusa/AO Online   Nacional   18 de Jan de 2017, 18:36

O ex-presidente do BES, Ricardo Salgado, ficou hoje impedido de se ausentar para o estrangeiro sem autorização prévia e proibido de contactar com os arguidos da Operação Marquês, determinou o Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC).

Em comunicado enviado à agência Lusa, a Procuradoria-Geral da República (PGR) refere que Ricardo Salgado, que hoje foi ouvido no TCIC, foi constituído arguido e está indiciado por factos susceptíveis de integrarem os crimes de corrupção, abuso de confiança, tráfico de influência, branqueamento de capitais e fraude fiscal qualificada.

O juiz decidiu aplicar ao arguido as medida de coação de proibição de ausência para o estrangeiro sem prévia autorização e de proibição de contactos com os restantes arguidos da 'Operação Marquês', bem como com algumas pessoas e entidades com ligações ao Grupo Espírito Santo, acrescenta o comunicado.

Num comunicado anterior, a PGR anunciara que a 'Operação Marquês', que tem como principal arguido o ex-primeiro-ministro socialista José Sócrates, conta com "20 arguidos, 15 pessoas singulares e cinco coletivas".

Entre os arguidos conta-se também o ex-ministro socialista Armando Vara, o empresário Carlos Santos Silva e o empresário luso-angolano Helder Bataglia.

O ex-presidente do BES, Ricardo Salgado, foi interrogado hoje por um juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC), depois de ter sido ouvido por um procurador do Ministério Público, no âmbito da 'Operação Marquês'.

Após ter interrogado Ricardo Salgado, o procurador do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) "requereu ao juiz do TCIC o interrogatório judicial do arguido tendo em vista a aplicação de medida de coação diversa do termo de identidade e residência", indicou a Procuradoria-Geral da República (PGR) numa nota enviada à comunicação social.

Carlos Alexandre é o juiz do TCIC encarregado do processo 'Operação Marquês', relacionado com investigações a crimes económico-financeiros.

Dois anos após o início da investigação, que a 20 de novembro de 2014 fez as primeiras detenções, a investigação do Ministério Público deverá estar concluída em março.

Entre os 20 arguidos na Operação Marquês estão João Perna, ex-motorista do antigo primeiro-ministro, os empresário Joaquim Barroca, Paulo Lalanda de Castro (administrador da Octapharma em Portugal e arguido noutros processos), Diogo Gaspar Ferreira e Rui Mão de Ferro, Inês Pontes do Rosário (mulher de Carlos Santos Silva), o advogado Gonçalo Trindade Ferreira, e Bárbara Vara, filha de Armando Vara, bem como a ex-mulher de José Sócrates, Sofia Fava.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.