Saída antecipada de 300 médicos seria uma "catástrofe"


 

Lusa / AO online   Nacional   18 de Mar de 2010, 10:09

O coordenador da Missão dos Cuidados de Saúde Primários, Luís Pisco, afirmou esta quinta-feira que a saída de quase 300 médicos por reforma antecipada seria uma “catástrofe” para os cuidados de saúde primários.
Segundo o Ministério da Saúde (MS), até finais de Fevereiro foram registados 284 pedidos de reforma antecipada.

No entanto, o Sindicato Independente dos Médicos (SIM) diz que são acima de 400 os clínicos que se pretendem reformar antecipadamente.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.