Rússia prepara-se para prolongar embargo à UE até ao fim de 2017

Rússia prepara-se para prolongar embargo à UE até ao fim de 2017

 

LUSA/AO online   Internacional   27 de Mai de 2016, 15:37

A Rússia conta prolongar até ao fim de 2017 o embargo a alimentos importados dos países ocidentais em resposta às sanções aplicadas a Moscovo por estes devido à crise ucraniana, afirmou hoje o primeiro-ministro russo

"Dei ordens para que sejam preparadas propostas tendo em visita um prolongamento das medidas de retaliação não por um ano, mas até ao fim de 2017", disse Dmitri Medvedev, citado pelas agências russas.

A decisão, que terá de ser validada pelo presidente Vladimir Putin, pretende também dar mais visibilidade ao setor agrícola russo.

As "medidas de retaliação" interditam desde agosto de 2014 a importação da maior parte dos produtos alimentares dos países ocidentais, principalmente da União Europeia (UE), que sancionam a Rússia pela anexação da Crimeia e pelo apoio aos separatistas ucranianos.

As medidas, que expiram em agosto, foram prolongadas por um ano no verão passado.

A advertência de Medvedev surge numa altura em que os países da UE se preparam para discutir em junho um eventual prolongamento das sanções impostas a Moscovo, que afetam os bancos e os setores da defesa e da energia e que terminam em julho. Até agora estas medidas têm sido prolongadas de seis em seis meses.

A chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, declarou na semana passada que espera um novo prolongamento.

Mas, o chefe da diplomacia alemã, Frank-Walter Steinmeier, reconheceu esta semana a existência "de alguma resistência na UE" quanto a um prolongamento.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.