Rússia inaugura novo cosmódromo junto à fronteira com a China


 

Lusa/AO online   Internacional   26 de Abr de 2016, 15:15

A Rússia inaugura quarta-feira o cosmódromo mais moderno do mundo, o Vostochni, aliviando o volume lançamentos que se verifica em Baikonur, no Cazaquistão.

 

O Vostochni, situado na região de Amur, perto da fronteira com a China, vai ser a plataforma de lançamentos dos diferentes módulos do novo programa lunar russo, cujo objetivo é alcançar o satélite da terra em 2029.

À diferença dos cosmódromos tradicionais, a torre de controlo não está no subsolo mas à superfície, muito perto da rampa de lançamento, ainda que bem protegida.

A instalação na qual se coloca o foguetão antes de ser lançado está construída de forma a resguardar as naves espaciais do vento, da chuva, neve e outros elementos climatológicos.

Para a ocasião, a Rússia modernizou o foguetão Soyuz-2.1, que vai lançar às 05:01 (2:00 de Portugal) o aparelho espacial Aist-2D, uma sonda desenhada para estudar as capas exteriores da atmosfera, incluindo meteoritos e detritos espaciais.

A sonda conta também com equipamentos que podem observar tanto a superfície terrestre como as suas capas subterrâneas e dispõe de placas solares para gerar energia de forma autónoma.

O SamSat-218D, um microssatélite desenhado por especialistas e estudantes da Universidade Nacional de Investigações de Samara, cuja missão é a elaboração de um algoritmo para determinar a orientação dos aparelhos referidos, vai ser igualmente lançado.

O Presidente Vladimir Putin disse hoje que vai assistir ao lançamento, seja presencialmente ou a distância, segundo informações do gabinete do Kremlin.

O vice-primeiro-ministro russo, Dmitri Rogozin, assegurou que o Vostochni não vai começar a operar na sua totalidade até 2018 acrescentando que esta base constitui uma “garantia de independência” para a Rússia no âmbito espacial.

Rogozin descartou ainda a renúncia ao arrendamento de Baikonur pela Rússia, cujo contrato expira em 2050, adiantando que os russos e os cazaques pensam construir um cosmódromo em conjunto, conhecido como Baiterek.

“Os lançamentos comerciais internacionais e a cosmonáutica tripulada vão efetuar-se desde Baikonur até pelo menos 2023”, adiantou o vice-primeiro-mistro russo.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.