Rússia e Ucrânia chegam a acordo de princípio para fornecer gás à Europa


 

Lusa/AO online   Economia   26 de Set de 2014, 17:29

Os governos da Rússia e da Ucrânia alcançaram um princípio de entendimento para assegurar o fornecimento de gás à Ucrânia e à Europa durante este próximo inverno, disse o comissário europeu de Energia, Gunther Oettinger.

 

De acordo com o responsável, que falava no final do encontro que manteve em Berlim com os ministros da Energia da Rússia, Alexandre Novak, e da Ucrânia, Yuri Prodan, o acordo de princípio está alcançado, mas falta ainda a ratificação dos chefes de Governo da Ucrânia e da Rússia.

O comissário manifestou-se confiante na ratificação do acordo já na próxima semana, para que se possam começar os trabalhos a tempo de evitar a situação de 2009, quando o diferendo entre os dois países da antiga União Soviética ameaçou o fornecimento de gás a toda a Europa.

De acordo com o princípio de acordo, Kiev compromete-se a pagar antes do final do ano 3,1 mil milhões de dólares à companhia russa Gazprom pelas faturas pendentes dos últimos meses.

Este valor é aquele que é reconhecido pela Ucrânia, mas a Rússia afirma que o valor em falta chega aos 5,2 mil milhões de dólares - o caso encontra-se entregue ao Tribunal de Arbitragem de Moscovo.

A União Europeia compra à Rússia 39% do gás que consome, a maioria do qual chega a território comunitário através das condutas ucranianas.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.