Roteiro sobre editor de Pablo Neruda concluído este ano na ilha do Corvo

Roteiro sobre editor de Pablo Neruda concluído este ano na ilha do Corvo

 

Lusa/AO Online   Regional   17 de Fev de 2016, 09:54

O diretor regional da Cultura dos Açores assegurou hoje que, até ao final do ano, o roteiro cultural de Carlos do Nascimento, editor do poeta Pablo Neruda, vai estar concluído na ilha do Corvo, integrado no Ecomuseu local.

“Foi solicitado a Jorge Saramago, professor da Faculdade de Letras, que é corvino, a elaboração desse roteiro”, disse Nuno Lopes à agência Lusa.

Aquele responsável acrescentou que, com o docente, está a ser estudada a estrutura do roteiro do editor açoriano, que será diferente de outros desenvolvidos pelo executivo regional, uma vez que os elementos relativos à presença de Carlos Nascimento na ilha “não são tão evidentes”, porque a abandonou muito novo.

No dia 17 de junho de 2015, a Assembleia Legislativa dos Açores aprovou, por unanimidade, um projeto de resolução, apresentado pelo deputado Paulo Estêvão, do Partido Popular Monárquico, eleito pelo Corvo, que recomendava ao Governo Regional a criação, até ao final da legislatura, de um roteiro cultural dedicado à vida e obra de Carlos Nascimento.

Paulo Estêvão solicitou agora, em requerimento enviado à mesa do parlamento, uma “descrição das iniciativas” e trabalho desenvolvido até ao momento, no sentido de ser executada a resolução.

Nuno Lopes referiu que se vai evidenciar no roteiro cultural algum do percurso de Carlos Nascimento no estrangeiro, para valorizar a identificação da personagem, assim como a sua história e alguns locais na própria ilha associados à sua presença.

A marcação física da evidência de Carlos Nascimento no Corvo integra-se no âmbito do projeto do Ecomuseu, uma estrutura considerada pelo Governo Regional como “inovadora” para o arquipélago, que vai caracterizar o território e a comunidade, para salvaguardar a sua identidade cultural.

O governante explicou que um turista que chegue ao Corvo vai ter um local inicial onde será confrontado com uma maqueta em bronze, na qual surge a vila do Corvo, sendo identificados determinados percursos com uma pequena explicação, um dos quais relativo ao editor Carlos Nascimento.

Após esta fase, o visitante escolhe o seu próprio caminho, podendo optar por dois ou três circuitos diferentes, sendo um deles o Museu do Tempo, um edifício que vai ser posto a concurso e onde se conta a história das diferentes personalidades da ilha através de imagens, gravações e entrevistas.

Carlos Nascimento, que nasceu em 1885, abandonou a ilha do Corvo ainda jovem, acabando por se transformar numa referência das letras chilenas do século XX.

Chegou ao Chile em busca de um tio, João Nascimento, dono da livraria Nascimento, espaço que mais tarde herdou e usou como rampa de lançamento da sua editora, que viria a publicar as primeiras obras do Nobel da Literatura.

A relação entre Carlos Nascimento e Pablo Neruda foi mais do que profissional e prolongou-se “por muitos anos”, desde a juventude do poeta até à morte do editor, em Santiago do Chile, em 1966, segundo disse anteriormente à Lusa uma das netas do corvino, Leonor Nascimento, que vive em Itália.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.