Richard H. Thaler recebeu Nobel da Economia por estudos de economia comportamental

Richard H. Thaler recebeu Nobel da Economia por estudos de economia comportamental

 

Lusa/AO online   Internacional   9 de Out de 2017, 11:16

O norte-americano Richard H. Thaler, da Universidade de Chicago, foi galardoado com o prémio Nobel da Economia pelos estudos de economia comportamental, anunciou a Real Academia das Ciências sueca.

O galardão reconhece o trabalho de Thaler por introduzir pressupostos psicológicos na análise da tomada de decisões económicas.

Através da exploração das consequências de uma racionalidade limitada, das preferências sociais e da ausência de autocontrolo, Thaler mostrou como estes traços humanos afetam sistematicamente as decisões individuais e as tendências dos mercados.

A Academia assegura que o economista norte-americano foi um "pioneiro" nesta abordagem, tendo contribuído de forma decisiva para "construir uma ponte entre as análises psicológica e económica dos processos de decisão individuais".

A perspetiva comportamental associada à economia origina "uma análise mais realista" em relação ao comportamento das pessoas quando estas tomam decisões económicas e assim ajuda a "desenhar medidas que aumentam os benefícios para o conjunto da sociedade".

Esta aproximação à economia difere da teoria tradicional, que partia do pressuposto de que as pessoas tinham bom acesso à informação e podiam processá-la de forma correta, algo que em muitas situações estava muito longe da realidade.

A contribuição de Thaler foi a redefinição da análise das decisões, incluindo elementos psicológicos que "influem de forma sistemática na tomada de decisões económicas".

Thaler, de 72 anos, nasceu em East Orange (Estados Unidos), licenciou-se em 1967 na Universidade Case Western Reserve e doutorou-se em 1974 na Universidade de Rochester.

Antes de começar a trabalhar na Universidade de Chicago em 1995 lecionou em Rochester and Cornell, além de ser professor convidado da Universidade de British Columbia e de diversas instituições de ensino superior nos Estados Unidos.

Como cada um dos restantes prémios Nobel, o da Economia tem o valor de nove milhões de coroas suecas (equivalentes a 943.784 euros ou 1,1 milhões de dólares).

Este é o único dos seis prémios Nobel que não foi instituído pelo criador dos galardões, o magnata sueco Alfred Nobel, mas pelo banco central sueco (Banco Nacional da Suécia) em 1968.

O prémio do Banco Nacional da Suécia em Ciências Económicas em memória de Alfred Nobel, como se denomina oficialmente, distinguiu no ano passado as contribuições do norte-americano Oliver Hart e do finlandês Bengt Holmström para a teoria dos contratos, com múltiplas aplicações que vão desde a legislação de falências até às constituições nacionais.

Com a atribuição deste prémio fica concluída este ano a ronda dos prémios Nobel, depois de na semana passada terem sido concedidos os da Medicina, da Física, da Química, da Literatura e o da Paz.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.