Ribeira Grande mantém tradição de mais de 500 anos das Cavalhadas de São Pedro

Ribeira Grande mantém tradição de mais de 500 anos das Cavalhadas de São Pedro

 

Lusa/AO online   Regional   27 de Jun de 2014, 16:36

Entre 150 a 160 cavaleiros, trajados a rigor, sairão à rua no domingo na Ribeira Grande, nos Açores, integrando as Cavalhadas de São Pedro, uma tradição com cerca de 500 anos que atrai cada vez mais jovens.

As Cavalhadas de São Pedro constituem um dos pontos altos das Festas da Ribeira Grande e o cortejo reúne cavaleiros, lanceiros, corneteiros e o rei que, trajados a rigor, fazem um percurso que começa junto ao Solar da Mafoma e, ao som de cornetas, dirigem-se para o centro da cidade, até à igreja de S. Pedro.

“É um desfile com caráter histórico muito grande, uma tradição de que há registos com mais de 500 anos. Muitos dos cavaleiros são jovens, o que faz com que tenhamos a convicção de que é uma tradição que não se vai perder no tempo”, afirmou o presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande, Alexandre Gaudêncio, em declarações à Lusa.

Inspiradas em torneios medievais, as Cavalhadas atraem milhares de pessoas até àquela cidade da costa norte da ilha de São Miguel, que no domingo tem o seu feriado municipal.

Associada a esta tradição das Cavalhadas surgem as denominadas "alâmpadas", cuja forma reproduz a de um lampadário. São arranjos florais que, além de flores, incluem frutos da época e que ornamentam as ruas “em oferta a São Pedro”.

“É uma tradição que para nós também é importante. Vemos muitas casas com estas alâmpadas penduradas à porta e que são oferecidas a São Pedro precisamente para que, segundo reza a história, as pessoas tenham um ano de fartura no que diz respeito a colheitas. É também uma tradição única que pretendemos perpetuar”, frisou o autarca.

As festas, que decorrem até dia 06 de julho, integram ainda, no sábado, um desfile de marchas populares, num total de 1.500 marchantes e 11 marchas, que serão acompanhadas por filarmónicas, enquanto que na segunda-feira decorre a sessão solene comemorativa de elevação a cidade, no Teatro Ribeiragrandense.

Para hoje está agendado um concerto de Kátia Guerreiro, também no Teatro Ribeiragrandense.

Animação musical ao longo da semana no Jardim Paraíso, com espaço para barracas de comes e bebes, e um festival de música são outros dos atrativos do programa das festas da Ribeira Grande, que termina no fim de semana de 05 e 06 de julho com o Dia do Comércio no centro histórico.

"Foi intenção do município apresentar um programa não só para estas festividades, mas também para todo o verão, para atrair um maior numero de pessoas ao concelho, com várias atividades, praticamente todos os fins de semana, começando com as festas da cidade e terminando em setembro com o mundial e europeu de surf", sublinhou o autarca, destacando que os eventos potenciam a economia local.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.