Ribeira Grande investe 1,7 ME na requalificação da frente mar da cidade

Ribeira Grande investe 1,7 ME na requalificação da frente mar da cidade

 

Lusa   Regional   23 de Mai de 2017, 11:08

A Câmara da Ribeira Grande, assina hoje o auto de consignação da empreitada de saneamento básico da frente mar da sede do concelho, investimento de 1,7 milhões de euros e "obra fundamental" para acabar com a poluição.

“Trata-se de uma obra que se prende com a requalificação da frente mar da cidade da Ribeira Grande e inclui uma ponte sobre a foz da ribeira e um sistema de recolha de águas residuais, além da proteção dos taludes que confinam com a foz da ribeira”, disse hoje à agência Lusa o presidente do município, Alexandre Gaudêncio.

O autarca social-democrata adiantou que “nesta empreitada está incluída a demolição de 20 moradias que foram sendo adquiridas ao longo deste mandato”, cuja compra custou cerca de dois milhões de euros.

“Para nós, esta obra é crucial e é das mais importantes deste mandato e dos últimos anos”, declarou Alexandre Gaudêncio, referindo que o investimento, “ao prever a travessia e, também, uma requalificação urbana”, visa “virar a cidade para o mar e aproveitar o potencial da sua zona ribeirinha”.

Segundo o presidente da câmara, que se recandidata a um novo mandato nas eleições autárquicas de 01 de outubro, “um dos principais problemas da cidade da Ribeira Grande, a segunda mais populosa da ilha de São Miguel, é a baixa taxa de execução de saneamento básico”.

“Apenas 45% da cidade tem saneamento básico, o que é uma percentagem muito aquém do necessário”, reconheceu.

Nesse sentido, o autarca destacou que “esta obra é fundamental, não só para aumentar a taxa de cobertura do saneamento básico, mas, acima de tudo, para acabar com a poluição, quer na zona da ribeira, quer na praia do Monte Verde, que é uma das praias que se pretende requalificar no âmbito desta intervenção e criar mais uma zona balnear a curto prazo”.

A empreitada tem um prazo de execução de um ano e para a sua concretização o município contraiu um empréstimo bancário, mas Alexandre Gaudêncio prevê que a obra possa ter um financiamento comunitário até 85% ao abrigo do Plano Integrado de Regeneração Urbana.

O autarca disse ainda que o objetivo do município é duplicar a cobertura do saneamento básico na cidade, um projeto que pode demorar até quatro anos.

“A câmara tem um estudo para ligar todo o saneamento básico da cidade à estação de tratamento de águas residuais de Rabo de Peixe, um trabalho estratégico para limpar toda a costa da cidade no âmbito das águas residuais”, explicou Alexandre Gaudêncio, referindo que este investimento pode atingir os três milhões de euros.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.