Revista de Imprensa Nacional


 

Lusa/Ao online   Nacional   18 de Dez de 2007, 05:26

O resgate de 23 pessoas de origem africana detectadas ao largo do Algarve e novos dados sobre a operação “Noite Branca”, que levou à detenção de vários indivíduos no Porto são temas hoje em destaque na imprensa lisboeta.
O Público avança na primeira página “Operação Noite Branca esteve em risco por falta de meios financeiros”, salientando que os funcionários da PJ participaram em regime de voluntariado.

    De acordo com o jornal, a direcção nacional da PJ não recorreu por razões financeiras ao enquadramento legal da criação de unidades de prevenção, deixando à vontade dos agentes a sua participação na operação - que levou à detenção de vários suspeitos de integrar “máfias da noite do Porto”.

    “Judiciária quer gangue na prisão por terrorismo” é a manchete do Jornal de Notícias, referindo que o Ministério Público atribui ao grupo da Ribeira o objectivo de intimidar a população através da violência.

    Os 11 suspeitos começam hoje a ser ouvidos no Tribunal de Instrução Criminal do Porto, depois de terem sido identificados segunda-feira.

    O Diário de Notícias titula “Testemunho de duas mulheres usado nas detenções no Porto”, avançando que as provas obtidas pela PJ para deter Bruno “Pidá” e o gangue da Ribeira residem sobretudo em testemunhos, escutas telefónicas e vigilâncias policiais.

    Sobre este assunto, o Correio da Manhã escreve “Gang da Ribeira indiciado por terrorismo” enquanto o 24horas titula “11 suspeitos do gangue arriscam condenação por terrorismo”.

    O jornal Público chama também à primeira página “Imigração clandestina: Barco com 23 marroquinos capturado no Algarve”.

    Os 18 homens e cinco mulheres, com idades entre os 25 e os 30 anos, foram localizados ao final da manhã de segunda-feira, próximo da ilha da Culatra, a bordo de um pequeno barco de madeira a motor.

    O Jornal de Notícias destaca “mar empurra ilegais para o Algarve” enquanto o Diário de Notícias escreve “Imigrantes ilegais pela primeira vez na costa portuguesa”.

    Na capa, o DN realça também que o Metro do “Terreiro do Paço abre [quarta-feira] sem teste de segurança”.

    O Correio da Manhã faz manchete com o título “Médicos pagos à `peça´”, salientando que o ministro da Saúde, Correia de Campos, quer remunerar a partir do próximo ano os clínicos conforme a produtividade.

    Quantas mais consultas e operações fizerem maior será a comissão que ganham no final do mês, acrescenta o CM.

    O 24horas destaca na capa que uma menina de 9 anos diz que um homem a meteu à força num automóvel, tentando raptá-la mas que conseguiu libertar-se, titulando “Esta menina fugiu do homem que a raptou”.

    O Jornal de Negócios noticia “Governo alivia regras contra planeamento fiscal abusivo”, salientando que as Finanças têm o diploma pronto e deverá vigorar a partir de Maio.

    “Advogados recebem oficiosas até ao fim do mês” e “Governo analisa alterações à lei das amortizações” são outros títulos em destaque no JdN.

    O Diário Económico faz manchete com o título “Alípio Dias disponível para liderar o BCP”, referindo que o ex-secretário de Estado das Finanças e do Orçamento diz não estar em campanha activa, embora já tenha manifestado a sua disponibilidade junto de “dois ou três” accionistas.

    “Empresários não querem referendo ao Tratado Europeu”, “Salário mínimo sobe para 426 euros em 2008” e “Violência na noite do Porto: As lições de Nova Iorque contra o crime” são outros assuntos abordados no DE.

    O Diabo destaca na sua edição de hoje respostas do catedrático da Universidade Lusófona, Rui Albuquerque, do investigador João Miranda e do catedrático e politólogo Adelino Maltez à pergunta “Porquê e onde o Estado está a falhar?”.

    Na capa, O Diabo revela ainda que há “380 mil doentes à espera por primeira consulta nos hospitais”.

    Os matutinos desportivos preocupam-se hoje em esclarecer a discussão verificada domingo entre Vukcevic e Liedson, no jogo Marítimo-Sporting (1-2), em que os dois jogadores sportinguistas quase se travaram de razões.

    “Está tudo bem com Vukcevic”, diz A Bola, citando declarações do avançado brasileiro, acrescentando o matutino que as “pazes entre os dois foram exigidas pela equipa técnica logo no Funchal”.

    O Jogo tem uma versão ligeiramente diferente, indicando na capa que “Vukcevic e Liedson não se falaram no regresso a Lisboa”, mas cita o avançado brasileiro que garante “Já passou, está tudo bem”.

    O Record foge a este assunto e prefere dedicar o espaço principal ao Benfica, anunciando que "Nuno [Gomes] não desiste", explicando que o atacante do clube da Luz mantém a atitude de combate, apesar de ser suplente e de os "encarnados" estarem à procura de avançados.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.