Revista de Imprensa Nacional


 

Lusa/Ao online   Nacional   13 de Dez de 2007, 05:12

A nomeação de Maria Helena Fazenda para dirigir inquéritos relacionados com homicídios no Porto, a assinatura do Tratado de Lisboa e a possibilidade dos detidos serem proibidos de fumar nas celas estão hoje em destaque na imprensa.
O Jornal de Notícias anuncia na primeira página “Lisboa investiga morte de seguranças no Porto”, adiantando que o Procurador-Geral da República, Pinto Monteiro, nomeou quarta-feira a procuradora Maria Helena Fazenda para dirigir e coordenar a investigação de todos os inquéritos relacionados com os homicídios na noite portuense.

    O JN refere que a notícia apanhou de surpresa responsáveis e investigadores da PJ e os próprios procuradores do Ministério Público.

    A decisão de Pinto Monteiro é encarada como desautorização, acrescenta o jornal.

    O matutino destaca ainda a assinatura do Tratado de Lisboa e que “Um quinto [dos portugueses] não faz compras de Natal”.

    Alguns jornais diários de hoje, bem como as revistas Sábado e Visão, incluem um suplemento da autoria da Presidência do Conselho da União Europeia que explica o Tratado de Lisboa e os seus objectivos.

    O Público faz manchete com a assinatura formal do Tratado de Lisboa nos Claustros do Mosteiro dos Jerónimos titulando “Hoje, o tratado é uma festa…”.

    O diário puxa também para a capa os títulos “Homicídios no Porto: Pinto Monteiro chama a si investigação”, “Banco Popular tem de recuar na revisão mensal [das taxas de juro]” e a inauguração da maior livraria portuguesa, a Byblos.

    “Prisões admitem proibir detidos de fumar nas celas” é a manchete do Diário de Notícias que cita declarações do director-geral dos Serviços Prisionais.

    Rui Sá Gomes admitiu ao jornal “a possibilidade de se poder fumar no exterior das celas mas salientou que “ainda não se fez uma adaptação das prisões à aplicação da lei” do tabaco que entra em vigor a 01 de Janeiro.

    “Canetas de prata e Porto de 57 na assinatura do Tratado” e “PGR nomeia especialista para crimes da noite” são outras chamadas de capa do DN.

    O Correio da Manhã avança na primeira página o título “Superpolícias contra gangs da noite”, referindo-se à nomeação da procuradora Maria Helena Fazenda para dirigir inquéritos relacionados com homicídios no Porto.

    O jornal revela na sua edição de hoje um “relatório secreto sobre mortes no Porto”.

    O matutino realça ainda na capa a assinatura do Tratado de Lisboa e que o Banco de Portugal desaconselha os cidadãos a passarem cheques à ordem.

    O 24horas noticia “Mulher que investiga máfia da noite só vai sair à rua com guarda-costas”, realçando que Maria Helena Fazenda, 51 anos, desvendou o caso das 13 mortes do Mea Culpa.

    “Advogados dos McCann querem anular fotografias da PJ do caso” e “Parlamento levantou imunidade a deputado [do PSD José Raul dos Santos] que recusou soprar no balão” são outros assuntos abordados no diário.

    “Revisão mensal da prestação do crédito à habitação é ilegal” é a manchete do Jornal de Negócios, adiantando que o Banco de Portugal e o Governo consideram ilegal prática efectuada pelo Banco Popular de rever mensalmente as prestações do crédito à habitação.

    O económico chama ainda à primeira página “Lisboa recebe os 27 para uma assinatura…que tem riscos” e “Federação [Portuguesa de Futebol] perde recurso no caso do Totonegócio e recorre ao Supremo”.

    O Diário Económico destaca na capa “[Joe] Berardo entrega queixa-crime contra o BCP”, escrevendo que o Procurador-Geral da República, Pinto Monteiro, recebe hoje o accionista do BCP que vai preparado para entregar queixa por burla contra administradores do banco.

    O jornal realça também declarações do director da Polícia Judiciária, Alípio Ribeiro, sobre a necessidade de controlar empresários da noite.

    A revista Sábado realça na primeira página as máfias de Lisboa e do Porto, titulando “Quem são os assassinos da noite”.

    A revista Visão destaca hoje “Diz que é uma espécie de adeus”, referindo-se ao final do programa “Diz que é uma espécie de magazine” do grupo Gato Fedorento.

    A Visão adianta ainda que o líder dos Super Dragões, Fernando Madureira, está a “ajudar” a Polícia Judiciária relativamente aos crimes no Porto.

    A vitória do Sporting sobre o Dinamo de Kiev, por 3-0, na última jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões em futebol, domina hoje com naturalidade as primeiras páginas dos jornais desportivos.

    “Saíram por cima”, garante o Record, falando numa “Vitória expressiva na despedida da Liga dos Campeões” e destacando uma frase do médico Gomes Pereira adiantando que a “Lesão de Liedson não é grave”.

    “Estão a surgir novos leõezinhos” é a manchete de O Jogo, jornal que sublinha a “Média de idades de 23 anos no final da partida” e assinala que “Adrien Silva foi titular e Luiz Paez jogou os últimos minutos”.

    O “Rugido” do Sporting serve para ilustrar a primeira página de A Bola, para quem o “Melhor Sporting de sempre na Champions deu três pontapés na crise”, apesar de um “Susto levezinho”, pois “Lesão de Liedson não é tão grave como chegou a temer-se mas o 31 está em dúvida para o jogo com o Marítimo”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.