Requalificação da escola das Capelas, custa 7,4 ME

Requalificação da escola das Capelas, custa 7,4 ME

 

Lusa/AO Online   Regional   5 de Jul de 2016, 07:27

A requalificação da escola básica e integrada das Capelas, no concelho de Ponta Delgada, Açores, está estimada em 7,4 milhões de euros e a autorização para lançar o concurso público deverá ser aprovada esta semana, foi hoje anunciado.

Na apresentação pública do projeto, no estabelecimento de ensino, o secretário regional da Educação e Cultura, Avelino Meneses, afirmou que o projeto não contempla a construção de uma escola de raiz, como exigia a comunidade educativa, sustentando que, na possibilidade de recuperação do edificado, “a utilização mais responsável dos recursos públicos aconselhou uma outra solução” que corresponde “a uma escola nova, digna, cómoda e segura”.

Avelino Meneses adiantou que ao gabinete de projetos pediu-se “um programa funcional como se de uma nova escola se tratasse, contendo todas as necessidades e valências de um moderno estabelecimento escolar para 800 alunos do 2.º e 3.º ciclos”.

O governante esclareceu que Capelas ficará com uma “escola maior, com mais espaços letivos, desportivos, administrativos e sociais” para alunos, e pessoal docente e não docente, e ficará “liberta de todos aqueles males que oportunamente foram identificados”, como por exemplo coberturas em amianto.

“Esta é a melhor solução possível” para os alunos, professores e outros trabalhadores, e para os cidadãos que suportam os encargos da administração pública, reiterou.

Na sessão, onde se encontrava na assistência o presidente do Governo Regional, Vasco Cordeiro, Avelino Meneses adiantou que “até ao fim deste mês a equipa projetista” vai concluir o projeto de execução e, após a revisão, será lançado o concurso público para a empreitada.

“Neste momento não é possível fazer uma previsão exata de todos os ‘timings’ em falta, mas trilharemos sempre o mesmo caminho”, declarou o secretário regional, garantindo que este projeto “continuará dependente de prazos exclusivamente técnicos, jamais políticos”.

Numa sessão que decorreu durante mais de duas horas, com as questões a serem suscitadas, sobretudo por professores e presidente da associação de pais, Joaquim Bastos e Silva, do gabinete projetista, informou que a escola, com 6.700 metros quadrados, vai aumentar mais 5.350 m2, estando contemplada “a remodelação de todas as áreas existentes”.

No final, Vasco Cordeiro afirmou que, neste processo, “se tivessem dito, em determinadas dessas fases, tem de ir tudo abaixo, não era aproveitável nada, pois era uma escola nova que se fazia”.

“Mas se é possível fazer, aproveitando alguma coisa do atual estabelecimento, por que haveremos de demolir para fazer de novo?”, questionou, abordando, depois, os “compromissos assumidos” nesta matéria.

O chefe do executivo açoriano sublinhou que o seu “compromisso inicial” foi a requalificação da escola da Capelas.

“O compromisso que assumi em 2012 foi requalificar a escola das Capelas, pequei por tentar ir mais além”, reconheceu Vasco Cordeiro.

Em 2014, o Governo Regional lançou um concurso público para a construção de uma nova escola, que ficou sem efeito.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.