Rendição nas Selvagens regista atraso devido a avaria no navio da Marinha

Rendição nas Selvagens regista atraso devido a avaria no navio da Marinha

 

Lusa/AO Online   Nacional   20 de Out de 2016, 13:15

A rendição dos polícias marítimos e dos vigilantes instalados nas ilhas Selvagens está atrasada dois dias devido a uma avaria no navio "Cuanza", da Marinha Portuguesa, responsável pela operação, informou hoje o comandante da Zona Marítima da Madeira.

 

"Confirmo que o navio era para ter partido na terça-feira [18 de outubro], mas pouco antes de largar deu-se uma avaria no sistema de propulsão de um dos motores", explicou à agência Lusa Félix Marques.

O responsável disse que o problema técnico deverá ficar resolvido ainda hoje, estando a nova largada prevista para as 16:00.

O NRP "Cuanza" é usado na operação de rendição dos polícias marítimos e dos vigilantes da natureza (funcionários do Instituto das Florestas e Conservação da Natureza) instalados nas ilhas Selvagens, a 300 quilómetros a sul da Madeira.

Habitualmente, são transportados dois agentes da autoridade marítima e dois vigilantes.

"No entanto, esta missão vai transportar 18 elementos, que vão ficar nas Selvagens cerca de dois meses, até meados de dezembro", informou Félix Marques, explicando que o objetivo é prosseguir com os trabalhos ao nível das instalações, dos acessos e dos abrigos destinados à Polícia Marítima.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.