Reitor: destino do Instituto do Mar decidido por vários associados

Reitor: destino do Instituto do Mar decidido por vários associados

 

Lusa/AO online   Regional   20 de Nov de 2017, 16:55

O reitor da Universidade dos Açores informou hoje que o Instituto do Mar (IMAR), que deverá fechar, é uma associação com vários associados que decidem os destinos da instituição e a academia só tem um voto nesta matéria.


“O IMAR que é uma associação privada sem fins lucrativos não depende da tutela ministerial. A Universidade depende. O IMAR é uma associação privada sem fins lucrativos que tem vários associados e que decidem os destinos da instituição em sede própria”, afirmou João Luís Gaspar.

O reitor da academia açoriana falava em declarações aos jornalistas após uma reunião com deputados do PSD/Açores e PS para abordar o encerramento do IMAR.

No inicio do mês, o presidente do instituto, Hélder Silva, disse à Antena 1/Açores que o IMAR, sediado na ilha do Faial, iria fechar, mas que não estavam em causa despedimentos, porque os funcionários seriam transferidos para um novo instituto a criar.

Este mês, cerca de meia centena de técnicos e investigadores do IMAR, ligados ao Departamento de Oceanografia e Pescas (DOP) da Universidade dos Açores, manifestaram-se na Horta contra o anunciado encerramento daquele organismo.

Hoje, o reitor da Universidade dos Açores esclareceu que "para todos os efeitos" a academia açoriana é um associado do organismo e tem um voto.

O reitor salientou que a academia "tem tido sempre uma excelente relação de trabalho" com o IMAR, acrescentando que, ao longo dos anos, o instituto tem tido os laboratórios, gabinetes e investigadores sedeados em espaços da academia.

João Luís Gaspar referiu que o centro de investigação “Okeanos”, criado para a Universidade dos Açores, beneficia da investigação de vários investigadores que tinham a sua posição contratual com o IMAR e o inverso também se verifica.

"A Universidade dos Açores até hoje nunca tinha tido um centro dirigido para as questões do mar. Tinha estado associada a várias instituições e criou, em 2015, o centro “Okeanos” que está a preparar a sua candidatura para o programa de acreditação nacional", acrescentou.

Quanto ao polo no Faial da Universidade, João Luís Gaspar, sustentou que, a médio/longo prazo, se pretende desenvolver outras valências naquela ilha.

"A Universidade dos Açores espera que a curto/médio prazo o polo do Faial possa ter novos docentes e novos investigadores de carreira para garantir a lecionação de um curso na área do mar, partindo de uma base que será sediada em São Miguel", adiantou.

Após a reunião, Luís Garcia, deputado do PSD/Açores eleito pelo Faial, referiu que "o eventual encerramento do IMAR tem sido um processo acompanhado com preocupação", avançando que na semana passada foram expedidas "um conjunto de cartas" de despedimento dirigidos a pessoal do IMAR.

O deputado disse que as preocupações se centram também nos aspetos relacionados com a capacidade de investigação da Universidade dos Açores na área das ciências do mar.

"A comunidade que está a trabalhar no Faial no IMAR, cerca de 100 pessoas, é muito importante em termos sociais, culturais e económicos para a ilha", sublinhou Luís Garcia.

Já o deputado do PS/Açores, José Contente, referiu que o grupo parlamentar socialista no parlamento dos Açores está a acompanhar a questão para "a resolução do problema ser feita da melhor maneira no interesse das pessoas".

"Estamos a acompanhar muito de perto esta situação juntamente com o governo", sublinhou José Contente, para quem "não poderá nunca haver lacunas" numa área tão importante como o mar.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.