Recolha de resíduos e água são prioridades para 2017 na Calheta

Recolha de resíduos e água são prioridades para 2017 na Calheta

 

Lusa/AO online   Regional   21 de Nov de 2016, 16:28

O presidente da Câmara da Calheta anunciou que a recolha seletiva de resíduos e o abastecimento de água vão ser prioridades do município para 2017, ano em que tem um orçamento de 5,7 milhões de euros

"Vamos investir 1,5 milhões de euros para aumentar a qualidade da água, preservar as nascentes e construir novos reservatórios e uma nova conduta", afirmou à agência Lusa o presidente da autarquia, o independente Décio Pereira.

Segundo o autarca, trata-se de "investimentos importantes e fundamentais para o concelho".

O presidente da Câmara adiantou que outra das apostas para o próximo ano é a recolha seletiva de resíduos, notando que os dois municípios da ilha de São Jorge, no grupo central do arquipélago, "são os únicos" sem este serviço.

"Vamos investir na aquisição de viaturas, contentores, distribuição de recipientes aos munícipes para a separação", referiu, explicando que, para esta área, estão afetos 600 mil euros.

Para Décio Pereira, "este é um passo que tem de ser dado" em São Jorge, cujas fajãs, cerca de sete dezenas, são Reserva da Biosfera.

O presidente do município destacou, ainda, para o próximo ano, a construção de infraestruturas de apoio nas fajãs, para responder à procura turística.

As fajãs são terrenos planos e férteis ao nível do mar que resultaram da acumulação de detritos na sequência de terramotos ou escoadas lávicas de erupções vulcânicas.

Para a fajã dos Vimes, o município tem previsto um espaço de restauração e uma zona balnear, enquanto na fajã dos Cubres uma infraestrutura sanitária.

Quanto à fajã da Caldeira do Santo Cristo, "local de maior visitação da ilha de São Jorge e um dos mais visitados dos Açores", Décio Pereira apontou uma zona de campismo.

Sobre a recuperação do património municipal, o presidente da Câmara da Calheta, que termina em 2017 o seu primeiro mandato à frente da autarquia, destacou os trabalhos nos Paços do Concelho e o parque escolar do 1.º ciclo do ensino básico.

"Uma das escolas vai ser transformada em arquivo municipal e outra em sede da proteção civil", declarou o autarca, acrescentando o investimento de requalificação na orla marítima, junto à escola da Calheta, que inclui a criação de um parque de estacionamento e uma estrada paralela.

Em sede do executivo municipal, o Orçamento para 2017 passou com os votos dos dois eleitos independentes e três abstenções (PS e PSD), informou Décio Pereira.

Na Assembleia Municipal, o documento foi aprovado, contando com cinco votos a favor e um contra dos elementos do PSD, enquanto no PS foram registados três a favor e quatro abstenções, disse o autarca.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.