Quercus quer equipas especiais a investigar crimes ambientais


 

Lusa/AO online   Nacional   14 de Set de 2017, 16:11

A associação ambientalista Quercus defendeu a criação de equipas especiais na Procuradoria-Geral da República (PGR) para investigar crimes ambientais, lamentando a lentidão com que atualmente são tratados, e a "quase impunidade" dos infratores.


"Só a criação de equipas especiais na PGR, à semelhança do que já acontece para os crimes económicos e de corrupção, poderá inverter a situação de quase impunidade" quando há violações das leis ambientais, encaradas como "leis de segunda categoria", afirma a Quercus em comunicado.

A associação destaca a dificuldade na obtenção de provas quando há crimes ambientais, que precisam de métodos de investigação próprios.

Por isso, assiste-se à divulgação de crimes ambientais "sem que seja conhecida qualquer diligência ou investigação" para acabar com eles, afirma a Quercus, que quer que deixem de ser "vistos pela população como atos menores e de baixa relevância social".



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.