Quedas do BCP e PT puxam PSI 20


 

Lusa / AO Online   Economia   10 de Dez de 2007, 17:23

A Euronext Lisboa fechou hoje em baixa, em contraciclo com as congéneres europeias, com o PSI 20 a cair 0,54 por cento, para 13.045,70 pontos, penalizado pelas descidas do BCP, PT e Galp.
    Dos 20 títulos que integram o principal índice da bolsa portuguesa, quatro subiram, 12 desceram e quatro ficaram inalterados, numa sessão de boa liquidez.

    Durante a sessão de hoje foram transaccionadas 54,7 milhões de acções no principal índice da bolsa portuguesa, correspondentes a um volume de negócios de 248,1 milhões de euros.

    Pela positiva destaque para a Mota Engil, Sonae Indústria e Sonae.

    Do lado negativo referência para BCP, Galp e Sonaecom.

    A Europa viveu uma sessão positiva, subindo pelo quarto dia consecutivo, puxada pelos títulos do sector bancário e da construção.

    O maior banco suíço UBS anunciou hoje uma nova depreciação de activos de cerca de 10 mil milhões de dólares (6,8 mil milhões de euros) devido à crise do crédito nos Estados Unidos, mas ao mesmo tempo disse que vão entrar no seu capital dois investidores, animando o sector.

    Em alta estava também o sector da construção, depois da Lafarge ter anunciado a intenção de comprar a unidade de cimentos da Orascom Construction Industries (do Médio Oriente).

    O índice de referência DJ Stoxx 50 fechou a subir 0,53 por cento, para 3.806,09 pontos, e o Euronext 100 encerrou a ganhar 0,48 por cento, para 1.012,74 pontos.

    As valorizações nas congéneres da bolsa portuguesa oscilaram entre um mínimo de 0,08 por cento de Madrid e os 0,56 por cento de Paris.

    A Euronext Lisboa foi a única praça europeia a fechar em baixa, penalizada pela descida de 1,33 por cento do BCP, com a maior queda em sete sessões, em dia sem novidades sobre o banco.

    A Galp Energia recuou 1,21 por cento e a Sonaecom perdeu 1,04 por cento.

    No domingo, a Galp anunciou que assinou um acordo para a produção de óleo vegetal e de biocombustíveis em Moçambique e que vai associar-se à Libya Africa Investment Portfolio (LAP) para desenvolvimento de projectos de exploração e produção de petróleo e gás natural.

    No entanto, o mercado reagiu em baixa a estas notícias.

    A penalizar o índice esteve também o recuo de 0,44 por cento da EDP, para os 4,57 euros.

    A puxar o PSI 20 para baixo esteve também a PT, com uma queda de 0,75 por cento, na sessão em, que o Crédit Suisse reduziu a recomendação e o preço-alvo da operadora de telecomunicações, para reflectir o aumento da concorrência nas telecomunicações depois do spin-off da PT Multimédia e o impacto da redução das tarifas de interligação em 2008.

    Do lado das subidas, o destaque foi para a Mota Engil, a corrigir das perdas da sessão anterior e a beneficiar do bom andamento do sector na Europa.

    A Sonae Indústria recuperou 0,67 por cento e a Sonae SGPS valorizou 0,49 por cento, no dia em que a Autoridade da Concorrência anunciou a sua "não oposição" à compra da Carrefour Portugal, mediante a adopção das condições e obrigações sugeridas pelo regulador.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.