Quatro estaleiros navais estrangeiros concorrem ao segundo concurso para a construção de navios para as ilhas


 

Lusa/ AO online   Regional   3 de Nov de 2011, 15:02

Quatro estaleiros navais, todos eles estrangeiros, concorreram ao segundo concurso lançado pela "Atlânticoline", para a construção de dois navios para operar no Grupo Central do arquipélago, revelou hoje a empresa.

Segundo Carlos Reis, presidente do Conselho de Administração da "Atlânticoline", a empresa pública açoriana que gere o transporte marítimo de passageiros, a abertura de propostas ocorreu na quarta-feira, tendo apenas concorrido quatro empresas estrangeiras.

São elas, a "Astilleros Armon", de Espanha, a "Daimon", da Holanda, a "Piriou", de França e a "State Marine", da Austrália, sendo que as duas primeiras já tinham concorrido por altura do primeiro concurso, que acabou por ficar, entretanto, deserto.

"Também no primeiro concurso tivemos quatro concorrentes, se bem que apenas um acabou por ser convidado a formalizar uma proposta", recordou Carlos Reis, que espera agora, que haja mais candidatos que estejam em condições de serem convidados pelo júri a apresentar formalmente a sua proposta.

O júri do concurso tem um prazo de 60 dias para tomar uma decisão, embora o presidente da "Atlânticoline" tenha realçado que os membros do júri estão "sensibilizados" para a necessidade de tomarem uma decisão o mais breve possível, para que não se verifiquem grandes atrasos nos prazos de entrega dos navios.

"Nós não sabemos ainda quais os prazos propostos pelas empresas concorrentes, mas na pior das hipóteses, os novos barcos deverão estar a operar em agosto ou setembro de 2013", garantiu Carlos Reis.

No anterior concurso, encerrado em agosto deste ano, depois da desistência do único estaleiro convidado a apresentar proposta, algumas das condições exigidas suscitaram fortes críticas da Associação das Indústrias Navais, que entendiam essas exigências inviabilizavam a participação dos estaleiros nacionais.

Apesar das alterações entretanto introduzidas pela "Atlânticoline" neste segundo concurso, nenhum estaleiro nacional concorreu à construção dos dois barcos, que vão operar nas ilhas do Grupo Central do arquipélago.

Os navios, que inicialmente deviam ter 37 metros de comprimento, passam a ter 40 metros, o que permite também aumentar em quatro toneladas a carga que podem transportar, ainda que o seu peso global tenha descido 13 toneladas.

Um dos navios aumenta a capacidade de 300 para 333 passageiros e de seis para oito viaturas, enquanto o outro mantém a capacidade para 12 viaturas, mas aumenta a lotação de 228 para 246 passageiros.

O tempo de construção também foi alterado, passando de 450 para 540 dias no primeiro caso e de 540 para 600 dias no segundo.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.