Cultura

Público homenageia José Saramago em Lisboa

Público homenageia José Saramago em Lisboa

 

Lusa/AO online   Nacional   19 de Jun de 2010, 15:38

O público está a tornar-se cada vez mais numeroso na Praça do Município, aguardando a possibilidade de prestar a última homenagem ao escritor José Saramago.
Alguns amigos mais próximos já se juntaram à família do escritor e aos representantes do Governo e da autarquia no interior dos Paços do Concelho. O corpo do escritor José Saramago, que faleceu na sexta-feira, aos 87 anos, na ilha espanhola de Lanzarote, entrou nos Paços do Concelho de Lisboa às 14:33, numa urna coberta pela Bandeira Nacional, ao som de uma salva de palmas. Dentro do edifício já se encontravam, chegadas minutos antes, a viúva Pilar del Río e as ministras da Cultura de Portugal, Espanha e Angola, recebidas pelo presidente da Câmara António Costa e também dirigentes do Partido Comunista Português, do qual o escritor era militante. Entraram nos últimos minutos o escritor Gonçalo M. Tavares, o poeta Manuel Gusmão, o músico Luís Cília, o cantor Carlos do Carmo e a mulher, Maria Judite. O corpo de José Saramago chegou num avião militar C-295 enviado pelo Governo português, num caixão coberto com a bandeira nacional, que aterrou no aeroporto de Figo Maduro cerca das 13:30 horas. No avião vieram também Pilar del Rio, a filha do escritor, Violante Matos, e a ministra da Cultura, Gabriela Canavilhas. Gabriela Canavilhas e Violante Matos tinham seguido neste mesmo avião na sexta feira para ir buscar o corpo do escritor a Lanzarote, no arquipélago das Canárias, em Espanha, onde este residia com Pilar del Rio. Entre outros onze familiares e amigos, viajou também para Lisboa neste avião a empregada do casal, Pastora Camacho Rodriguez. Esperavam a chegada corpo de José Saramago, no aeroporto de Figo Maduro, os seus dois netos, o seu editor, Zeferino Coelho, o ministro da Administração Interna, os secretários de Estado da Defesa, da Cultura e dos Negócios Estrangeiros e Cooperação. O secretário geral do PCP, Jerónimo de Sousa, outros dirigentes deste partido, do qual Saramago era militante, e amigos como a escritora Alice Vieira, aguardavam igualmente a chegada do corpo do escritor, que recebeu o prémio Nobel da Literatura em 1998. Os ministros da Cultura de Espanha, de Angola e da Guiné Bissau – estes dois últimos tinham-se deslocado a Lisboa para participar numa reunião da CPLP – estavam também presentes. Junto à pista do aeroporto concentravam-se ainda cerca de vinte e cinco elementos da comunicação social, incluindo membros das televisões e rádios que fizeram emissões em directo do local. O atraso na chegada do avião C-295, que estava inicialmente prevista para as 12:45 horas, deveu-se a ventos contrários, segundo fonte oficial. Do aeroporto de Figo Maduro, o corpo de José Saramago seguiu em cortejo fúnebre para o Salão Nobre dos Paços do Concelho de Lisboa, onde deverá ficar em câmara ardente até às 12:00 de domingo, seguindo depois para o cemitério do Alto de São João, onde será cremado.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.