Polícia

PSP impõe cortes orçamentais às esquadras

PSP impõe cortes orçamentais às esquadras

 

Lusa/AO On line   Nacional   7 de Out de 2010, 06:41

A PSP vai reduzir as despesas com cortes nas chamadas telefónicas, consumo de água e luz, correio postal e deslocações ao estrangeiro e no país.
Numa ordem de serviço, a que agência Lusa teve acesso e com data de quarta-feira, a Direcção Nacional da PSP estabelece várias medidas para aumentar a receita e diminuir a despesa.

De acordo com o documento, a PSP vai reduzir em 10 por cento os consumos de electricidade e água e diminuir em 20 por cento o consumo de papel, 'tonners', correio postal e utilização de fax, devendo passar a utilizar-se o correio electrónico e videoconferência

A ordem de serviço refere que se deve terminar com a impressão dos recibos de vencimento do efectivo, uma vez que estão acessíveis a partir do portal social da PSP.

Os comandantes dos comandos regionais, metropolitanos, distritais e da Unidade Especial de Polícia, os directores dos estabelecimentos de ensino, directores de departamentos e chefes de gabinete da Direcção Nacional devem igualmente implementar medidas para reduzir em 20 por cento os custos das chamadas telefónicas, “intensificando-se a utilização das comunicações fixo-móvel e móvel-fixo, por meio dos interfaces GSM existentes nas centrais telefónicas da PSP”.

Neste contexto, é “desactivado o serviço roaming (voz e dados) aos utilizadores de telemóveis na PSP, de acordo com o princípio da necessidade”, indica a ordem de serviço, assinada pelo director nacional adjunto, Guilherme Guedes da Silva.

A Polícia de Segurança Pública (PSP) vai reduzir em 10 por cento os custos associados às deslocações em Portugal, “exceptuando as viagens de âmbito operacional e de formação”, e diminuir em 50 por cento as despesas associadas às deslocações ao estrangeiro.

Para reduzir a despesa, a PSP vai ainda adoptar medidas tendentes à redução do consumo de combustível, incrementando, para tal, a manutenção primária da frota automóvel de forma a detectar atempadamente potenciais anomalias.

Segundo o documento, o gabinete de informação e relações públicas da PSP vai produzir folhetos para sensibilizar todo o dispositivo para necessidade de racionalizar os recursos existentes.

Para ter mais receita, a PSP vai aumentar o número de cursos para a cidadania, diminuir o tempo de processamento dos licenciamentos de armas e explosivos e da segurança privada, bem como propor a introdução de custas processuais nos processos de contraordenações no âmbito das armas, explosivos e segurança privada.

O documento refere ainda que o Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna vai promover o aumento do número de cursos e de alunos nos vários cursos e ações de formação que impliquem o pagamento de propinas.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.