PSD vai hoje a votos


 

Lusa/AO Online   Nacional   26 de Mar de 2010, 05:43

O sucessor de Manuela Ferreira Leite, que hoje é escolhido em eleições diretas, será o quarto líder do PSD escolhido diretamente pelos militantes do partido com direito de voto.

Nas eleições diretas de hoje, 78 900 militantes do PSD - o maior universo eleitoral desde que a alteração ao modo de sufrágio foi instituído, em 2006 - escolhem entre Pedro Passos Coelho, Paulo Rangel, José Pedro Aguiar-Branco e Castanheira Barros para liderar o partido.

Luís Marques Mendes foi, em 2006, o primeiro vencedor de um sufrágio direto no PSD, eleito por 36 por cento dos militantes inscritos para votar (20 mil dos 55 mil).

Foi, de resto, o então líder do PSD a promover, num ato de religitimação face à alteração das regras, a convocação das primeiras eleições diretas no PSD, após a aprovação no XXVIII Congresso social democrata da alteração estatutária que instituiu a eleição por "sufrágio universal, direto e secreto".

As eleições diretas, defendidas historicamente por antigos líderes do partido como Pedro Santana Lopes ou Durão Barroso e por movimentos de militantes, voltaram a realizar-se pouco depois, em 2007.

Luís Filipe Menezes, eleito nesse ano pelos militantes "laranja" viria, no entanto, a afastar-se da liderança do PSD seis meses depois de ser eleito e a palavra foi devolvida aos militantes do PSD em 2008.

Em Maio desse ano, os 76 mil militantes chamados a pronunciar-se elegeram Manuela Ferreira Leite para líder do partido - com 37,86 por cento dos votos, contra os 31,55 por cento para Pedro Passos Coelho, 29,13 para Pedro Santana Lopes e apenas 0,68 por cento para Patinha Antão.

Em Outubro de 2009, depois da derrota do PSD nas eleições legislativas desse ano, Manuela Ferreira Leite convocou uma reunião do Conselho Nacional do partido, órgão máximo entre Congressos, para anunciar a convocação de novas eleições diretas no partido.

Pedro Passos Coelho foi o primeiro a assumir-se como candidato à sucessão de Manuela Ferreira Leite. Seguiram-se Paulo Rangel, o líder parlamentar do partido, José Pedro Aguiar-Branco e Castanheira Barros.

Dos mais de mais de 78.900 militantes com direito de voto nas diretas de hoje, mais de 16 mil pertencem à distrital social democrata do Porto.

Seguem-se a Área Metropolitana de Lisboa, com perto de 13 mil inscritos nas diretas, Braga, com quase oito mil, Aveiro, com mais de seis mil, e Coimbra, com aproximadamente 4.500 militantes em condições de votar.

Os militantes inscritos na região autónoma da Madeira são cerca de 2.500, nos Açores perto de 600 e nos círculos da emigração aproximadamente 1200, dos quais dois terços pertencentes a estruturas do PSD fora da Europa e um terço a estruturas da Europa.

Na eleição de hoje, os militantes vão também escolher os delegados ao XXXIII Congresso do PSD, que elegerá os novos órgãos do partido.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.