Eleições Autárquicas

PSD quer revolucionar recolha de resíduos gerados pela restauração em Ponta Delgada

PSD quer revolucionar recolha de resíduos gerados pela restauração em Ponta Delgada

 

Lusa/AO online   Regional   25 de Set de 2017, 17:49

O candidato do PSD à Câmara de Ponta Delgada, José Manuel Bolieiro, disse hoje que quer fazer uma revolução na recolha de resíduos gerados pelos estabelecimentos de restauração e bebidas no centro histórico.


Em declarações à agência Lusa, à margem de uma reunião com responsáveis da delegação dos Açores da AHRESP - Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal, José Manuel Bolieiro realçou a importância de dar resposta à especificidade da recolha decorrente do crescimento turístico e do aumento da prestação de serviços nesta área.

Para o cabeça de lista, atual presidente do município, há que definir "não um percurso habitual", mas um "perímetro específico onde há mais restauração, mais oferta de bares e similares", e encontrar "um serviço específico" para estes.

O candidato afirmou que o objetivo passa por "não permitir nem a acumulação" de resíduos, nem a recolha numa "hora que seja incompatível com o funcionamento mais intenso da restauração e, em particular, quando estão esplanadas em pleno funcionamento".

A este propósito referiu que nesta mudança deve estar contemplada a alteração de horários de recolha dos resíduos, que podem passar a ser duas ou até três vezes por dia.

"Este é um esforço financeiro estratégico que já está predefinido", referiu José Manuel Bolieiro, adiantando que o objetivo é que a sua execução seja "o mais rapidamente possível, para a próxima época estival e de maior potencialidade turística".

Segundo o candidato social-democrata, a solução passa, também, por adaptar os equipamentos, assim como direcionar a recolha ao que "é mais notório em termos de produção" de resíduos neste setor, os resíduos orgânicos, de plástico e vidro.

Questionado sobre se esta iniciativa é uma resposta às críticas que lhe têm sido dirigidas no âmbito da recolha de resíduos sólidos urbanos, José Manuel Bolieiro respondeu negativamente.

"Não tem a ver com as críticas, embora as críticas sejam positivas. Tem a ver com uma alteração da realidade e essa alteração da realidade tem a ver com uma economia pujante", referiu.

O cabeça de lista do PSD defendeu ainda que a restauração do concelho da ilha de São Miguel deve fazer um esforço no sentido de usar produtos locais, o que vai permitir a valorização destes e da fileira da agroindústria, a necessidade da formação de ativos, preferencialmente em época baixa, e as ementas passarem a estar disponíveis em vários idiomas.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.