PSD quer que Governo Regional assuma construção de cais de cruzeiros na Terceira

PSD quer que Governo Regional assuma construção de cais de cruzeiros na Terceira

 

Lusa/AO online   Regional   19 de Mar de 2018, 17:20

Os deputados do PSD/Açores eleitos pela ilha Terceira querem que o Parlamento açoriano e o Governo Regional se comprometam com a construção de um cais de cruzeiros, uma obra já anunciada pelo município da Praia da Vitória (PS).

"Este assunto já foi muito debatido, mas nunca mereceu uma chegada à assembleia regional e uma tomada de posição, uma votação, um compromisso direto por parte daqueles que são eleitos por esta terra", frisou o deputado Luís Rendeiro, numa conferência de imprensa, na Praia da Vitória.

O projeto de resolução que os social-democratas vão apresentar na Assembleia Legislativa dos Açores recomenda ao Governo Regional que "construa, no molhe norte do porto da Praia da Vitória (também conhecido por porto dos americanos), um terminal de passageiros (cruzeiros e inter-ilhas), nos moldes em que tal investimento foi estudado pela Câmara Municipal da Praia da Vitória, promovendo para tal toda a articulação necessária entre as diferentes entidades competentes e os diversos níveis de responsabilidade sobre aquela parte do porto e baía da Praia da Vitória".

A construção de um cais de cruzeiros na ilha Terceira foi anunciada inicialmente para a cidade de Angra do Heroísmo, em 2008, por proposta do município, então presidido por Andreia Cardoso (PS), e com o compromisso do executivo açoriano, na altura liderado por Carlos César (PS).

Após um amplo debate, o projeto acabou por não avançar, tendo sido anunciado, em 2014, já com Vasco Cordeiro (PS) à frente do Governo Regional, que a obra não se iria realizar.

A Câmara Municipal da Praia da Vitória, liderada por Roberto Monteiro (PS), propôs, nesse mesmo ano, a utilização partilhada do molhe usado pela Força Aérea norte-americana, como contrapartida pela redução militar anunciada pelos Estados Unidos.

Em 2017, o autarca apresentou um estudo de viabilidade da construção de um terminal de passageiros nesse local, com um custo estimado entre os 10 e os 15 milhões de euros (aproveitando-se o cais existente) ou entre os 15 e os 20 milhões de euros (construindo-se um cais de raiz), com uma comparticipação comunitária de 85%.

Para os deputados social-democratas, agora que há consenso sobre a localização não há motivo para que a ilha Terceira fique "à espera mais 10 anos" por um cais de cruzeiros.

"Esta é mais uma iniciativa para gerar consensos e não discordâncias, nem com o Governo Regional, nem com o Partido Socialista, na medida em que, se no passado existiam dúvidas em relação à sua localização, esta agora é unânime", salientou a vice-presidente da bancada parlamentar do PSD Mónica Seidi.

A utilização partilhada depende da aprovação do Governo da República, que, por sua vez, terá de negociar com a administração norte-americana, mas Luís Rendeiro considerou ser uma solução exequível.

"Não se pede nada que já não esteja a ser executado na pista da base das Lajes. O que aqui temos é uma proposta de utilização partilhada de infraestruturação, relembrando que os navios norte-americanos encostam naquele molhe uma, no máximo, duas vezes por ano", frisou.

Em 2018, estão previstas 77 escalas de navios de cruzeiros na ilha de São Miguel, 27 na ilha do Faial e 24 na ilha Terceira.

Na Praia da Vitória, os passageiros desembarcam no porto comercial, mais afastado do centro da cidade do que o molhe utilizado pela Força Aérea norte-americana.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.