PSD quer ouvir embaixador norte-americano e MNE no parlamento


 

Lusa/AO Online   Regional   9 de Jan de 2015, 14:44

O PSD anunciou que vai chamar ao parlamento o embaixador norte-americano em Portugal, Robert Sherman, e o ministro dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, para prestarem esclarecimentos sobre a redução da presença dos Estados Unidos nas Lajes.

 

"A decisão do governo dos Estados Unidos deixa o PSD preocupado, é nesse sentido que solicitámos a presença do ministro dos Negócios Estrangeiros na comissão para prestar esclarecimentos, além disso gostaríamos também de convidar o embaixador norte-americano para estar presente na mesma comissão para prestar alguns esclarecimentos", afirmou o deputado social-democrata António Rodrigues.

O embaixador norte-americano em Portugal apresentou na quinta-feira as conclusões do relatório sobre a reorganização das forças militares norte-americanas na Europa, prevendo a redução gradual dos trabalhadores portugueses da base aérea das Lajes de 900 para 400 pessoas, ao longo de 2015, e dos civis e militares norte-americanos de 650 para 165.

"Estamos ainda disponíveis para viabilizar todos os pedidos que venham a ser apresentados por outros partidos para aqui no Parlamento ouvirmos outros responsáveis para esclarecer cabalmente esta situação, sem dramatismos", afirmou o vice-presidente da bancada do PSD.

Sobre as duas audições, António Rodrigues referiu que o grupo parlamentar do PSD está "disponível para as escalonar de acordo com aquilo que seja a disponibilidade dos envolvidos", o "mais rápido possível".

"Sabemos que houve negociações e haverá ainda negociações no futuro e estamos interessados em deixar clara não só a posição dos trabalhadores daquela região, mas acima de tudo quais são os impactos para a economia da região autónoma dos Açores nesta matéria", frisou.

O social-democrata disse ainda esperar que "na colaboração entre o Governo Regional e o Governo da República possa estabelecer-se um consenso sobre esta matéria".

"Não se trata aqui de bandeiras partidárias, mas de encontrar soluções que possam viabilizar a economia daquela região e a situação social dos seus habitantes", alegou.

 



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.