PSD preocupado com novas posições dos EUA

PSD preocupado com novas posições dos EUA

 

Lusa/Açoriano Oriental   Nacional   2 de Fev de 2017, 17:24

O PSD entregou esta quinta-feira no parlamento um voto de condenação intitulado "Em defesa dos valores da relação transatlântica", onde exprime "muita preocupação" com as recentes tomadas de posição da nova administração norte-americana.

No voto, o PSD pede ao Governo português que, no âmbito das organizações internacionais de que faz parte, “dê voz a esta reprovação” e renove os desígnios que formam a estrutura básica da relação transatlântica, apelando à União Europeia para que fale “a uma só voz” na defesa dos compromissos internacionais e dos direitos humanos, “incluindo os direitos dos refugiados”.

De acordo com fonte parlamentar, a deputada do PSD e ex-ministra da Justiça Paula Teixeira da Cruz assinou o voto que o BE apresentará sobre este tema e que condena as recentes declarações e deliberações da administração Trump.

Também dois deputados socialistas – Alexandre Quintanilha e Pedro Bacelar Vasconcelos – subscreveram o voto do BE, apesar de a sua bancada ter um voto próprio.

O voto do PSD tem como primeiros signatários o presidente do partido, Pedro Passos Coelho, o líder parlamentar, Luís Montenegro, a vice-presidente do partido Maria Luís Albuquerque e os ‘vices’ da bancada Hugo Soares e António Leitão Amaro.

O texto começa por referir a importância da “comunidade transatlântica das democracias” como “um espaço de cooperação para as liberdades e prosperidades dos povos”.

“Nesta comunidade, os Estados Unidos da América desempenham um papel incontornável na defesa destes valores, e a aliança histórica que têm com a Europa, e com Portugal em particular, levam-nos a reafirma-los nesta época de grandes incertezas”, refere o texto.

Os sociais-democratas salientam que a vitalidade da relação transatlântica tem dependido do compromisso com o livre comércio, com as organizações internacionais e multilaterais e “com a credibilidade, robustez e eficácia da aliança de segurança e defesa na NATO”, bem como com princípios como a não-discriminação.

“É com muita preocupação que, atendendo a estes considerandos, temos assistido às mais recentes tomadas de posição da nova administração norte-americana, a que acresce uma inversão da política que orientou os Estados Unidos desde o pós-II Guerra Mundial no que toca às relações com a União Europeia”, refere o texto.

O PSD salienta que as tomadas de posição da administração liderada por Donald Trump – num texto em que nunca se refere o nome do novo presidente norte-americano – “no abandono unilateral da promoção do comércio livre, na desvalorização das convenções internacionais e organizações internacionais, nas declarações de fragilização da NATO e na opção por métodos discriminatórios na política dos refugiados” terão “efeitos negativos para as relações entre as duas margens do Atlântico norte”.

Além do PSD, BE e PS, também o PCP e CDS-PP apresentaram votos de condenação sobre esta temática, que serão votados na sexta-feira.

Fonte da bancada do PSD remeteu para sexta-feira o anúncio do sentido de voto do partido relativamente aos vários textos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.