PSD pede pagamento "urgente" das "dívidas" do Governo às empresas


 

Lusa/AO online   Regional   3 de Jul de 2014, 17:32

Os deputados do PSD/Açores voltaram a apelar ao executivo açoriano para pagar "com a maior urgência possível" as "dívidas" que tem às empresas regionais, acusando-o de as "acumular" apesar de receber "dinheiro a mais" dos impostos.

“Em 2013, o Governo Regional recebeu dos açorianos, devido às medidas de austeridade nacional, mais 126 milhões de euros do que em 2012. Paradoxalmente, quanto mais dinheiro o Governo Regional recebe dos impostos cobrados aos açorianos, mais dívidas acumula”, aponta um comunicado dos deputados social-democratas no parlamento dos Açores.

Os deputados do PSD/Açores estiveram reunidos durante dois dias em jornadas parlamentares na ilha Graciosa, tendo hoje divulgado um comunicado com as conclusões da análise que fizeram sobre a situação da região autónoma.

Lembrando as afirmações do secretário-geral do PS durante o debate do Estado da Nação, na Assembleia da República, na quarta—feira, os deputados do PSD/Açores sublinham que "o pagamento das dívidas da administração pública às empresas será uma forma célere e eficaz" de dotá-las da “necessária liquidez para investir e poder agir na recuperação de postos de trabalho”.

O PSD/Açores entende ainda que o Governo Regional socialista deve "aproveitar parte do dinheiro que está a receber a mais dos impostos" para "acudir à situação aflitiva" do grupo SATA.

A "urgência de políticas concretas para combater a desertificação das ilhas com menor população e resolver os atuais constrangimentos ao nível dos transportes aéreos e marítimos" são outras das preocupações apontadas pelos parlamentares social-democratas.

“É inadmissível, por exemplo, que depois de se comprarem novos navios e de se investir em portos, os produtores da Graciosa estejam impedidos de colocar os seus produtos durante as escalas no porto da Praia da Vitória”, referem.

As medidas do executivo socialista de Vasco Cordeiro para combater o desemprego merecem também as críticas do PSD/Açores, para quem o executivo regional revela "incapacidade" de executar as medidas da Agenda Açoriana para o Emprego e Competitividade Empresarial.

No caso da Graciosa, os deputados do maior partido da oposição nos Açores dizem que constataram “grandes dificuldades sociais e económicas na ilha” e "a falta de soluções do Governo Regional para as enfrentar".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.