PSD pede audição parlamentar sobre divulgação de ficheiro com dados de 230 mil utentes açorianos

PSD pede audição parlamentar sobre divulgação de ficheiro com dados de 230 mil utentes açorianos

 

Lusa/AO Online   Regional   24 de Mar de 2017, 06:39

O grupo parlamentar do PSD/Açores requereu hoje um conjunto de audições, com caráter de urgência, na comissão de Assunto Sociais, sobre a divulgação na internet de dados de 230 mil utentes do Serviço Regional de Saúde.

A revista Exame Informática noticiou recentemente que dados de quase todos os habitantes dos Açores estiveram expostos no 'site' da Administração Regional de Saúde (ARS) do Alentejo.

"O ficheiro tinha o nome 'Exportação Utentes SRSA para Reembolsos'. Quem o descobria na Internet tinha uma surpresa: numa grelha Excel estão os dados discriminados de mais de 230 mil habitantes dos Açores", incluindo "nomes completos, número fiscal e de utente dos serviços de saúde regionais, moradas, datas de nascimento e números de telefone e/ou telemóveis", indicou a revista.

Numa nota de imprensa, o PSD/Açores adianta que "os deputados social-democratas requereram hoje um conjunto de audições, com caráter de urgência", acrescentando que os parlamentares "pretendem ouvir as explicações do atual secretário regional da Saúde, Rui Luís, e do anterior titular do cargo, Luís Cabral".

Os parlamentares do PSD/Açores solicitaram também a presença na comissão de Assunto Sociais da atual presidente da Saudaçor, Luísa Melo Alves, e da sua antecessora no cargo, Rosa de Matos Zorrinho, adianta o partido.

No debate parlamentar sobre as propostas de Plano e Orçamento, na semana passada, na Horta, no Faial, o secretário da Saúde dos Açores, Rui Luís, disse que a divulgação de dados de 230 mil utentes da região é grave e que os responsáveis pela situação terão as consequências previstas na Lei.

A empresa pública Saudaçor, que gere os recursos e equipamentos de saúde dos Açores, já anunciou que vai remeter ao Ministério Público o processo relativo à utilização indevida de um ficheiro com dados de 230 mil utentes da região.

Entretanto a ARS do Alentejo assumiu a "utilização indevida de um ficheiro no 'site' da instituição" que expôs dados de mais de 230 mil utentes do Serviço Regional de Saúde dos Açores.

"Tratou-se de uma utilização indevida de um ficheiro no 'site' desta instituição. Foram desencadeados todos os procedimentos internos necessários e concretos para a resolução do problema", informou a ARS Alentejo.

Numa resposta escrita enviada à agência Lusa, lê-se ainda que "o ficheiro não contém utentes da ARS Alentejo e não deveria ter sido colocado no servidor de Internet" desta entidade, frisando que "mal foi detetado o ficheiro Excel, o mesmo foi de imediato retirado".

A ARS do Alentejo esclareceu também que "nunca existiu qualquer notificação ou queixa relacionada com a informação constante no ficheiro, até porque se encontrava numa zona fora de contexto e sem nenhuma ligação visível no 'site'".

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.