Saúde

PSD exige "demissão da Unidade de Saúde da Ilha Graciosa"

PSD exige "demissão da Unidade de Saúde da Ilha Graciosa"

 

Luís Pedro Silva   Regional   20 de Out de 2012, 15:41

O PSD/Graciosa exigiu hoje "a imediata demissão da administração da Unidade de Saúde da ilha", considerando que "a situação da gestão do setor na Graciosa ultrapassou todos os limites numa sociedade democrática".

João Bruto da Costa, líder do PSD na Graciosa, falava numa conferência de imprensa onde lembrou que "as simpatias políticas são mais importantes do que a competência técnica e curricular de quem está ao serviço da saúde na Graciosa", afirmou, referindo-se à colocação de funcionários "em funções para as quais não têm preparação, levando os gestores do centro de saúde a ocuparem parte do seu tempo em assistência a esses funcionários, dada a sua impreparação", salientou.

 

"Essas nomeações assumem um foro meramente partidário, como se a competência das pessoas se visse pela bandeira que agitam em campanhas eleitorais", criticou o social-democrata, lamentando que

as opções políticas "tenham levado a Unidade de Saúde da Graciosa a um crescente divórcio com a população, que perdeu toda a confiança na sua gestão. São nomeações consideradas ilegais, é a deslocação de funcionários sem razões que o justifiquem, e é uma estrutura a servir cada vez pior os graciosenses", disse João Bruto da Costa.

 

"Todos conhecem o resultado de concursos de pessoal no Centro de Saúde e as suas curiosas relações de proximidade com o poder vigente", afirmou, recordando que, "quem tem competência e experiência adquirida ao longo de muitos anos é posto de parte sem justificação. Estamos a falar de um serviço de saúde que é público, e que deve servir todos por igual, sem olhar às opções políticas dos cidadãos", afirmou o líder do PSD/Graciosa.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.