Política

PSD critica orgânicas das unidades de saúde das Flores e do Corvo

PSD critica orgânicas das unidades de saúde das Flores e do Corvo

 

Lusa/AO online   Regional   29 de Nov de 2010, 16:35

O PSD/Açores criticou esta segunda-feira as orgânicas das novas unidades de saúde de ilha das Flores e do Corvo, que entram em vigor em Dezembro, considerando “ridículo” que sejam “mais os que mandam do que os que são mandados”.
“O PSD/Açores não está de acordo com medidas que vão ao arrepio da realidade”, afirmou o vice-presidente do partido, Luís Maurício, acusando o executivo regional socialista de tentar “engordar a administração pública”.

Na origem desta posição do PSD/Açores está a divulgação das orgânicas das novas unidades de saúde de ilha das Flores e do Corvo.

A Unidade de Saúde de Ilha do Corvo tem um presidente, dois vogais não executivos, um director clínico, um director de enfermagem e um delegado de Saúde para gerir uma unidade que tem apenas um médico ao serviço.

Nas Flores, a Unidade de Saúde de Ilha tem um presidente, dois vogais executivos, dois vogais não executivos, um director clínico, um director de enfermagem, um delegado de Saúde e dois coordenadores técnicos para gerir uma unidade que tem quatro médicos ao serviço.

“É ridículo, quem manda são mais do que os que são mandados. Em momentos difíceis como os que vivemos exigem-se medidas de bom senso e esta não é uma medida de bom senso”, afirmou Luís Maurício.

Para o vice-presidente do PSD/Açores, as orgânicas das unidades de saúde de ilha das Flores e do Corvo “vão ao arrepio das medidas de contenção assumidas pelo secretário regional da Saúde nos hospitais, onde cortou sem critério e sem diálogo algumas prevenções médicas”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.