PSD admite referendo em relação à eutanásia

PSD admite referendo em relação à eutanásia

 

Lusa/AO online   Nacional   6 de Abr de 2018, 09:28

O líder parlamentar do PSD, Fernando Negrão, admitiu hoje um referendo sobre a morte medicamente assistida, com vários projetos pendentes no parlamento.

“Acho que devemos refletir sobre a possibilidade de um referendo para dar a conhecer os portugueses o conjunto das soluções que existem”, afirmou Fernando Negrão, em entrevista à Antena 1.

Desde o ano passado que o PSD, então liderado por Pedro Passos Coelho, admitia a possibilidade de uma consulta popular, o mesmo acontecendo, à direita, com o CDS-PP.

Desde o congresso do PSD, em fevereiro, os dois ex-líderes parlamentais do PSD Luís Montenegro e Hugo Soares defenderam a realização de um referendo sobre a eutanásia.

O partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) e o Bloco de Esquerda (BE) já entregaram os seus projetos de lei no parlamento e o PS vai fazê-lo em breve. O Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV) também anunciou um projeto de lei próprio.

À direita, o PSD decidiu dar liberdade de voto, apesar de Pedro Passo Coelho, o líder em funções em 2017, ter prometido uma posição oficial e admitir todos os cenários, incluindo o do referendo.

Rui Rio, o novo presidente social-democrata, é, pessoalmente, favorável à despenalização da morte assistida, mas não é conhecida a posição da nova liderança.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.