PSD acusa Governo de estar "sem estratégia" para "calamidade social" do desemprego


 

Lusa/AO Online   Nacional   4 de Jun de 2010, 11:24

O líder parlamentar do PSD, Miguel Macedo, acusou hoje o Governo de estar “de braços cruzados” e "sem estratégia” face ao crescimento dos números do desemprego no país, que qualificou como “uma calamidade social”.

“Portugal tem hoje cerca de 600 mil desempregados (…) esta situação é uma verdadeira chaga social, uma calamidade social que temos em Portugal. É um número que não tem paralelo nas décadas anteriores em Portugal. Nunca vimos uma situação como esta”, disse, no debate quinzenal com o primeiro ministro, José Sócrates.

Para o líder da bancada social democrata, perante esta realidade o executivo está “de braços cruzados, parado, incapaz e impotente (…) totalmente paralisado, sem estratégia, sem rumo, sem definição de objetivos”.

“O Governo reagiu de forma absolutamente patética aos números do desemprego. Entreteve-se com questões de vírgulas e de décimas, de técnica estatística, como se os desempregados fossem vírgulas e décimas”, declarou.

Em resposta, José Sócrates reconheceu o “problema seríssimo do ponto de vista económico e social” do desemprego, mas considerou “pouco sério” não considerar que o número de desempregados “subiu em todos os países do mundo desenvolvido nos últimos dois anos”.

O primeiro ministro devolveu depois a acusação referindo que a última subida do desemprego, entre 2002 e 2005, coincidiu com um Governo liderado pelo PSD e ocorreu “quando não havia nenhuma crise no mundo” e criticou os sociais democratas por verberarem contra a ação do Governo em matéria de combate ao desemprego e, ao mesmo tempo, defenderem a diminuição do investimento público.

“Como é que o senhor deputado compagina aquilo que é o apelo do PSD para que o Governo combata o desemprego com os insistentes apelos do PSD para que o Governo não promova nenhum investimento, investimento esse que dá emprego”, questionou José Sócrates.

E acrescentou: “Sem investimento é que não há emprego. E a batalha que o PSD tem feito contra o investimento público em nada beneficia nenhum potencial desempregado que queira ter emprego”.

Em defesa da ação do executivo na promoção do investimento e das exportações, vias para mitigar o desemprego, o primeiro ministro comentou: “O senhor deputado não tem visto televisão ultimamente e por onde anda o Governo na promoção das exportações e da diplomacia económica?”

“Quero registar a confissão do senhor primeiro ministro de que governa para a televisão”, ironizou Miguel Macedo, acusando José Sócrates de “estar em estado de negação” em relação ao desemprego.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.