PSD/Açores responsabiliza Governo Regional pelos "maus resultados" na Educação

PSD/Açores responsabiliza Governo Regional pelos "maus resultados" na Educação

 

Lusa/AO online   Regional   23 de Mar de 2016, 17:41

O líder do PSD/Açores, Duarte Freitas, considerou que a Educação deve ser uma prioridade do próximo Governo Regional, acusando o atual presidente do executivo açoriano de ser responsável pelos maus resultados nesta área.

 

"Ao fim de 20 anos de governação, nós não precisamos de um analista político que reconheça os problemas como se tivessem sido causados por uma entidade externa. Não, os problemas foram causados por uma entidade interna e o presidente do Governo é um dos principais responsáveis pela situação problemática que temos na Educação, na Saúde, na Agricultura, nas Pescas, em todo o contexto social e económico nos Açores", frisou.

Duarte Freitas falava em conferência de imprensa, em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, depois de no passado fim-de-semana o líder do PS e presidente do Governo Regional, Vasco Cordeiro, ter defendido, no encerramento do congresso regional do partido, que a Educação deve ser uma "prioridade estratégica para os Açores".

Questionado sobre o desafio lançado pelo líder regional socialista, para que os partidos colaborem na construção de um "acordo de regime" sobre esta matéria, Duarte Freitas disse que o PSD tem dado o seu contributo sempre que o presidente do executivo tem pedido e vai continuar a dar, mas acrescentou que a região precisa de "um novo presidente" que "possa apresentar soluções credíveis e de futuro".

"Se o próprio presidente do Governo reconhece estes problemas todos, devia ser o primeiro a reconhecer que já não é ele que tem a solução para o futuro dos Açores", sublinhou.

Segundo o líder regional do PSD, os maus resultados na Educação ajudam a explicar o "desemprego elevado" nos Açores, por isso, se vencer as eleições, em outubro, promete implementar um programa de ensino "com medidas concretas, objetivos definidos e metas quantificadas, para que as políticas sejam avaliadas com rigor".

O gabinete de estudos do PSD conta apresentar até setembro uma proposta nesse sentido, depois de um questionário, com base num modelo científico, que já começou a ser feito.

Segundo Francisco Simões, coordenador da área da Educação do gabinete de estudos do PSD, a região tem de acabar com uma lógica de importação de políticas educativas de outros locais e tem de avaliar o impacto das medidas que implementa.

"É necessário pensar em políticas para uma geração para inverter resultados, mas nós não podemos continuar a achar que as boas práticas existem só fora da região e não podemos continuar a ter políticas que não introduzam a noção de inovação, porque, caso contrário, vamos simplesmente estar a repetir o que já é feito", salientou.

Segundo o investigador do Instituto Universitário de Lisboa, o sistema educativo nos Açores tem-se focado apenas na integração dos alunos em situação de maior vulnerabilidade, mas há também problemas de identidade, de desintegração dos pais e de desintegração na concertação de saberes.

"Temos escolas urbanas, em meios rurais, que servem alunos que têm uma identidade suburbana", declarou, acrescentando que "as propostas formativas ao nível do ensino profissional e vocacional estão muitas vezes desenquadradas das prioridades ou potencialidades económicas da região".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.