PSD decide na sexta-feira sobre coligação com o CDS nos Açores

PSD decide na sexta-feira sobre coligação com o CDS nos Açores

 

Lusa/AO online   Regional   28 de Abr de 2015, 14:51

A Comissão Política do PSD/Açores decide na sexta-feira sobre uma eventual coligação eleitoral com o CDS-PP na região nas eleições legislativas deste ano, disse à Lusa fonte social-democrata açoriana.

 

A direção do PSD/Açores vai decidir sobre a sua estratégia para as legislativas "autonomamente", disse a mesma fonte, acrescentando que, por isso, o líder dos sociais-democratas açorianos, Duarte Freitas, não estará presente na Comissão Política Nacional do PSD, agendada para quarta-feira, onde será discutida e aprovada a proposta de coligação pré-eleitoral com o CDS-PP.

Os presidentes do PSD e do CDS, Pedro Passos Coelho e Paulo Portas, assinaram no sábado, 25 de Abril, um compromisso para uma coligação pré-eleitoral, o qual salvaguarda a autonomia das estruturas regionais dos partidos nos Açores e na Madeira para decidirem sobre se estendem a coligação aos respetivos arquipélagos.

Na reunião de sexta-feira, a direção do PSD/Açores, presidida por Duarte Freitas, vai analisar a proposta de coligação com o CDS de Passos Coelho e tomar uma decisão, que depois terá de apresentar ao Conselho Regional do partido, a quem cabe, formalmente, validar a opção que for tomada.

Segundo a mesma fonte do PSD/Açores, na reunião de sexta-feira, será ainda analisada a questão da lista social-democrata do círculo dos Açores nas eleições legislativas.

A 19 de abril, o presidente do PSD/Açores, Duarte Freitas, disse que decidirá "autonomamente" e "em liberdade" a estratégia para as eleições nacionais, assim como os nomes da lista social-democrata do círculo dos Açores.

Dias antes, o social-democrata e antigo presidente do Governo açoriano, Mota Amaral, havia manifestado à agência Lusa a sua disponibilidade para voltar a candidatar-se à Assembleia da República nas próximas eleições legislativas e disse já o ter comunicado a Duarte Freitas.

João Bosco Mota Amaral lembrou a sua longa experiência como deputado "numa altura em que se prepara uma revisão da Constituição, que deve acontecer na próxima legislatura" e em que é "necessário proceder à revisão de determinadas leis fundamentais, nomeadamente a lei eleitoral, que manifestamente necessita de ser considerada".

Também a atual secretária de Estado da Defesa e ex-líder do PSD/Açores, Berta Cabral, não excluiu, recentemente, a hipótese de ser candidata pelo círculo dos Açores às eleições legislativas, embora tenha salientado que era uma questão, na altura, prematura.

"Sempre fui uma pessoa disponível para todo o serviço político e à comunidade. E o facto de estar exatamente nestas funções é porque considero que é um dever cívico de todos nós, quando somos chamados a participar, dar o nosso melhor", sustentou Berta Cabral, no mês passado.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.