PSD/Açores avança com reforma do sistema político se vencer eleições regionais

PSD/Açores avança com reforma do sistema político se vencer eleições regionais

 

LUSA/AO online   Regional   12 de Set de 2014, 14:25

O líder do PSD/Açores anunciou hoje que o partido está a preparar uma proposta para "a reforma do sistema politico da região

"O PSD/Açores está a preparar uma proposta para a reforma do sistema político da nossa região e que, na impossibilidade de o debater com o PS, o PSD/Açores, caso vença as legislativas regionais de 2016, irá avançar com o diálogo político necessário para reformarmos a nossa autonomia”, afirmou Duarte Freitas, considerando que os Açores são pequenos, mas têm políticos, cargos de nomeação política e gestores públicos a mais.

O dirigente social-democrata falava na abertura da primeira Universidade de Verão do PSD e JSD dos Açores, que junta até domingo trinta jovens das nove ilhas açorianas, incluindo não militantes.

"Não tenho dúvidas de que podemos reduzir mais de cem cargos políticos e de nomeação política, poupando dinheiros aos contribuintes, melhorando a democracia e tornando mais eficaz a transparente a nossa governação", disse, acrescentando que serão apresentadas propostas para “a redução do número de deputados no parlamento regional, a extinção de muitos cargos de nomeação politica e a diminuição do número de gestores públicos”.

Para Duarte Freitas, tratam-se de propostas “indispensáveis para melhorar a governação” dos Açores e “para devolver a confiança dos açorianos nas suas instituições” e lamentou “a recusa obstinada” do PS “em abordar sequer esse assunto”.

As propostas "não pretendem menos partidos no parlamento regional", mas "menos deputados e melhor funcionamento do sistema político e parlamentar", afirmou, acrescentando que no caso das nomeações políticas “existem cargos que foram criados ainda antes da internet”.

“Se antigamente alguns delegados de ilha e outros nomeados eram necessários para aproximar a administração dos cidadãos, a verdade é que no presente estes cargos são muitas vezes meras extensões, mais preocupados com os interesses do partido do que com a população”, frisou.

Quanto ao setor público empresarial regional, disse que se “especializou em contrair dívida, desorçamentar, concorrer com empresas privadas e fazer política partidária orientada por dúzias de comissários políticos”.

Na sua intervenção na abertura desta Universidade de Verão, que decorre nas Capelas, concelho de Ponta Delgada, ilha de São Miguel, Duarte Freitas voltou a alertar que os Açores têm “a maior taxa de desemprego do pais” e “com números assustadores” no caso dos jovens.

Já Carlos Coelho, presidente do Instituto Francisco Sá Carneiro e responsável pela Universidade de Verão do PSD nacional, e que apoia a iniciativa regional, apelou à juventude para que “metam mãos à obra”, considerando que muitos jovens estão divorciados da intervenção cívica.

O também eurodeputado disse ainda que na ação política os jovens devem “recusar três erros comuns”: “achar que só nós temos razão”, "acharmos que comunicar em política é só falar" e "ceder à vaidade e vedetismo”.

A primeira Universidade de Verão do PSD e JSD/Açores vai abordar questões como a autonomia, o mar, a saúde, o desporto, a educação, o emprego e a economia.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.