PSD/A pede medidas para "acudir" a dificuldades no setor do leite

PSD/A pede medidas para "acudir" a dificuldades no setor do leite

 

LUSA/AO Online   Regional   11 de Jul de 2015, 14:51

O presidente do PSD/Açores diz que é preciso "acudir" de imediato às dificuldades geradas pela queda do preço do leite e considera "incompreensível" que continuem por tomar na região medidas que "toda a gente" defende há anos.

Numa "sessão de esclarecimento" com agricultores, sobre o fim das quotas leiteiras, na ilha de São Miguel, na sexta-feira à noite, Duarte Freitas afirmou que é "incompreensível" que ainda esteja por criar o centro ou observatório regional do leite, o "lóbi em Bruxelas" e uma associação "interprofissional" do setor. "Em três meses, qualquer uma destas entidades pode ser criada", sublinhou, acrescentando que se for eleito presidente do Governo Regional, nas eleições de 2016, é isso que fará. No entanto, "ainda antes do final de 2016", é preciso "acudir a muitas situações" e o Governo Regional socialista tem de, "pelo menos", ter "em atenção" o "quase desespero de muitos agricultores, que sabem que quando saem de sua casa para ordenhar as suas vacas, muitas vezes, vão perder dinheiro", acrescentou. Duarte Freitas sublinhou que os produtores de leite açorianos "fizeram a sua parte" e produzem hoje leite de excelente qualidade, mas que "depois tem de ser transformado e comercializado". "Desde o excelente leite que produzimos nas pastagens até às prateleiras dos consumidores vai uma grande distância e em vez de se valorizar o excelente leite que produzimos, às vezes, perde-se é algum valor. Por isso mesmo as dificuldades que estamos a sentir num mundo cada vez mais competitivo", afirmou. Assim, para o dirigente do PSD, "a interprofissional era muito importante", porque sentaria "à mesma mesa" produtores, industriais e comerciantes. Quanto ao lóbi dos Açores em Bruxelas, que "toda gente já defendeu", desde "há anos e anos e anos", considerou que teria também "uma valia importante", mesmo num contexto, como o atual, em que os eurodeputados, de todos os partidos, estão a fazer um bom trabalho na defesa do setor leiteiro. Segundo Duarte Freitas, a generalidade das regiões europeias tem lóbis em Bruxelas com vantagens reconhecidas. E sublinhou que em causa está a criação de uma "delegação" com representantes de agricultores, pescadores ou comerciantes e sem "políticos profissionais". "Qual é o medo de ter um lóbi em Bruxelas" e "por que é que o Governo [Regional] há de querer ser o dono da informação toda?", questionou. Já o centro ou observatório do leite seria fundamental para conhecer e acompanhar o setor e o mercado e dar a conhecer, "com dados e estudos" a realidade regional aos decisores europeus, afirmou. Duarte Freitas sublinhou que apesar de o setor do leite nos Açores estar a sofrer impactos de algumas situações imprevistas, a que se somou o efeito do fim das quotas, em abril, devia estar preparado para responder a um cenário como este. "Há de facto aqui um fardo muito pesado de muitos anos em que, talvez, não se fez o que se devia", afirmou, referindo-se aos governos regionais.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.