PS surpreso e desapontado pelo "brutal desinvestimento" dos EUA


 

Lusa/AO Online   Regional   9 de Jan de 2015, 06:45

O Partido Socialista (PS) mostrou-se hoje surpreendido com o "brutal desinvestimento" das forças armadas dos Estados Unidos da América (EUA) na base das Lajes, na ilha Terceira, Açores, traduzida na redução de efetivos.

“O PS lamenta profundamente uma decisão unilateral do Departamento de Defesa do Governo dos EUA que, ao arrepio dos contactos bilaterais intensos que têm procurado uma solução mutuamente satisfatória, vem abruptamente reduzir o significado e a dimensão da colaboração militar entre os dois países, que teve na Base das Lajes a sua mais importante materialização”, referem os socialistas em comunicado enviado à agência Lusa.

Os EUA anunciaram uma diminuição gradual, ao longo deste ano, de 900 para 400 trabalhadores portugueses da Base das Lajes, enquanto os civis e militares norte-americanos vão passar de 650 para 165.

“A significativa redução do investimento militar americano na Base das Lajes, pela sua dimensão e alcance, justifica uma interrogação sobre a validade e justificação das facilidades concedidas aos nossos aliados americanos no território da Ilha Terceira”, acrescenta a nota.

O PS convida o Governo dos EUA a participar “com efetivo empenho” numa solução que reforce os laços entre os dois países, no plano da cooperação militar e económica.

O Governo português já manifestou o seu “forte desagrado” pela “decisão unilateral” da administração norte-americana de reduzir pessoal na base das Lajes, considerando que o impacto económico e social na ilha Terceira é “especialmente preocupante”.

“O Governo português expressa o seu forte desagrado por esta decisão, que não teve em conta as preocupações que transmitiu aos Estados Unidos da América ao longo dos últimos dois anos, em articulação com o Governo Regional dos Açores”, afirma, em comunicado, o ministério dos Negócios Estrangeiros.

Na nota, o ministério liderado por Rui Machete afirma que o Governo vai fazer uma “análise detalhada desta decisão e de todas as suas possíveis implicações”.

Os socialistas criticam a reação do Governo português.

“O PS deplora os termos da reação do Governo Português que, sendo exposto a uma decisão unilateral e a um tratamento vexatório, não soube afirmar o interesse nacional, nem as legitimas expetativas dos portugueses residentes na Região Autónoma dos Açores, e em particular dos que na Ilha Terceira vivem e trabalham”, sublinha.

O PS reclama ainda do Governo português a definição e a implementação de um programa especialmente dirigido à Região Autónoma dos Açores, com o objetivo de atenuar os impactos económicos e sociais decorrentes da decisão dos EUA.

“O PS exprime ao Governo da Região Autónoma dos Açores a sua solidariedade no esforço que desenvolverá para proteger o povo açoriano destes desenvolvimentos, que muito lamentamos”, conclui o comunicado.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.