PS refuta críticas quanto aos programas ocupacionais


 

Lusa/AO Online   Regional   1 de Out de 2016, 11:58

O cabeça de lista do PS pelo círculo de São Miguel, Vasco Cordeiro, afirmou que os programas ocupacionais se justificam e refutou críticas da oposição, sustentando que estes "não visam a criação de emprego".

“Os programas ocupacionais não visam a criação de emprego. O que visa a criação de emprego são, exatamente, programas de fomento de criação de emprego, como é o caso do ‘Integra’”, afirmou Vasco Cordeiro em entrevista à agência Lusa, acrescentando que através deste programa já foram contratados mais de mil jovens recém-licenciados.

Vasco Cordeiro, recandidato à presidência do Governo Regional, explicou que os programas ocupacionais, como o ‘Recuperar’, se destinam a pessoas em situação de desemprego, “que já perderam o subsídio e já não têm qualquer rendimento, sendo esta uma forma de dar algum rendimento em troca de uma prestação de serviço à comunidade”.

“Muitos daqueles que dirigem críticas a esses programas ocupacionais, que não visam a criação de emprego, são os mesmos que pactuaram com uma política a nível da República que destruiu empregos, são os mesmos que compactuaram com uma política do Governo da República, do PSD e CDS, que foi uma das grandes causas desta tormenta que as famílias açorianas também passaram”, destacou.

Para o líder do PS/Açores, os programas ocupacionais “justificam-se, são equilibrados do ponto de vista de dar um rendimento e exigirem uma contraprestação em termos de trabalho”.

Destacando que o Governo Regional socialista conseguiu diminuir a taxa de desemprego dos 18% (primeiro trimestre de 2014) para 11% (segundo trimestre de 2016), Vasco Cordeiro assumiu não estar satisfeito com esta descida, por querer mais, embora termine o primeiro mandato com a “sensação de dever cumprido, não no sentido de tudo estar feito”.

O setor da Saúde continua, porém, entre as preocupações do cabeça de lista, nomeadamente a recuperação das listas de espera cirúrgicas, área em que gostaria de “ter melhores resultados”.

“O problema na Saúde não é apenas dinheiro”, considerou, acrescentando que, por exemplo, se houvesse mais médicos anestesistas, aquelas listas registavam uma diminuição.

Vasco Cordeiro salientou que durante o seu primeiro mandato à frente dos destinos da região foram feitas alterações ao sistema de reembolsos “para permitir dar mais apoio a quem precisa”, adquiridos carros de Suporte Imediato de Vida (SIV) e apoiada a instalação na região de uma clínica de oncologia.

Salientando serem conquistas em benefício da saúde dos açorianos, Vasco Cordeiro afirmou que ambiciona mais, como maior disponibilização de valências do Serviço Regional de Saúde, “para evitar deslocações desnecessárias de doentes” ao exterior e um maior desenvolvimento da telemedicina.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.