PS quer realizar estudo sobre a abstenção nos Açores

PS quer realizar estudo sobre a abstenção nos Açores

 

Lusa/Açoriano Oriental   Regional   14 de Dez de 2016, 17:24

O líder do grupo parlamentar do PS na Assembleia Legislativa dos Açores avançou com uma proposta de elaboração de um estudo sobre a abstenção na região, na sequência de um compromisso assumido pelo partido.

 

André Bradford, que falava no encerramento das jornadas parlamentares socialistas, que se realizaram em Santa Cruz da Graciosa, disse que o partido "vai continuar preocupado e empenhado enquanto não fizer tudo o que estiver ao seu alcance para quebrar esse estado de coisas".

Citado por uma nota de imprensa, o também vice-presidente do PS/Açores afirmou que o grupo parlamentar quer avançar ainda com o sistema do voto em mobilidade, uma proposta já apresentada na legislatura anterior.

"A oposição, sobretudo a oposição de direita, não quis acompanhar essa pretensão na passada legislatura. Mantemos essa intenção, porque esta é uma das formas de facilitar o acesso ao voto e esperamos que haja um acompanhamento das oposições que, na altura, não quiseram ser parceiros desta transformação", declarou André Bradford.

O dirigente exemplificou com o caso dos eleitores açorianos deslocados noutras ilhas ou no continente por razões diversas como, estudos, trabalho ou até por motivos de saúde.

Para o responsável, a abstenção não deve ser um combate exclusivo do partido: o objetivo é "gerar os mais amplos entendimentos" entre partidos para que as medidas "tenham outro tipo de força" e os resultados "possam ser mais eficazes".

O líder da bancada socialista quer ainda o envolvimento da sociedade civil para que esta não seja uma discussão "à porta fechada", afastada da opinião e dos anseios dos cidadãos.

Na terça-feira, André Bradford referiu que a diferença entre os eleitores residentes e não residentes de longo prazo "pode significar 12% a 15% da taxa de abstenção da região".

André Bradford, que falava num debate público no âmbito das jornadas, afiançou que "há, garantidamente, cerca de 20 mil eleitores a mais nos cadernos eleitorais, do que o total da população residente".

"Ou seja, se descontarmos aos residentes a população com menos de 18 anos, aqueles que por lei estão impedidos de votar, verificamos que o número restante é inferior ao número total de eleitores", declarou.

André Bradford apontou ainda que existem "mais 17.500 votantes que surgiram de um ato eleitoral para o outro nos Açores", o que, na sua leitura, não se traduz no aumento real de pessoas a residir no arquipélago.

Nas eleições legislativas regionais de 16 de outubro, dos 228.162 inscritos nos cadernos eleitorais, 59,15% não votaram.

Desde as eleições regionais de 2008 que a abstenção em eleições regionais nos Açores ultrapassa os 50%, ou seja, mais de metade dos eleitores não vota.

O concelho da Lagoa, na ilha de São Miguel, foi o campeão da abstenção, com cerca de 66%.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.