Açores/Eleições

PS na feira agrícola onde ouviu queixas e recebeu apoios

PS na feira agrícola onde ouviu queixas e recebeu apoios

 

Lusa/AO Online   Regional   13 de Out de 2016, 13:36

O líder do PS/Açores, Vasco Cordeiro, marcou hoje presença na feira agrícola de Santana, no concelho da Ribeira Grande, onde ouviu queixas, recebeu apoios e repetiu os apelos ao voto nas eleições legislativas regionais de domingo.

 

“Está tudo mal, as coisas tudo caro, e o leite barato e a carne também”, disse aos jornalistas João Sousa, de 62 anos, depois de dirigir igual lamento a Vasco Cordeiro, cabeça de lista pelo círculo de São Miguel e recandidato à presidência do Governo Regional.

João Sousa lamentou o “muito dinheiro” que hoje se “perde” na agricultura, alertando que “muitos já estão acabando com a lavoura”.

Num outro local da feira, Luís Silva, de 48 anos, queixou-se que “não se vende”.

“Quando não há dinheiro não se consegue comprar, porque não damos fiado”, desabafou Luís Silva, produtor de queijo da Covoada, a terra natal de Vasco Cordeiro.

Para Luís Silva, há “cada vez menos” poder de compra e, nesta altura, “pior ainda”, devido ao regresso às aulas.

À pergunta sobre o que gostaria que o candidato socialista fizesse na eventualidade de se manter no governo, o empresário respondeu de imediato: “Que fizesse aquilo que quer fazer e que ainda não conseguiu fazer” nas condições de trabalho.

Segundo Luís Silva, há “muito desemprego, muitas pessoas no rendimento mínimo [atual rendimento social de inserção]” e é necessário “dar-se uma volta nisso”.

“As pessoas têm é que trabalhar, ganhar o seu ordenado e ganhar bem para poderem comprar”, salientou.

Por onde passou, Vasco Cordeiro repetia, vezes sem conta, a importância de se votar no domingo e, se não pede diretamente o voto no PS, há quem o faça por ele.

“Isto é que é um braçado, vamos lá votar no Vasco Cordeiro. Podem votar à vontade que isso é de confiança”, disse, alto e bom som, um vendedor, depois de abraçar o candidato.

De um turista de Figueiró dos Vinhos, Leiria, ouviu votos de boa sorte.

“Eu não voto aqui, mas desejo-lhe boa sorte”, disse ao cabeça de lista Fernando Pires, de 48 anos, enquanto alguém lembrou que “a feira é todas as quintas-feiras e não de quatro em quatro anos”.

“Eu não venho à feira de Santana de quatro em quatro anos, venho com mais frequência e venho sem anunciar e sem uma comitiva deste tamanho”, disse, acrescentando depois que “há quem venha cá de quatro em quatro anos”.

Sobre as queixas relativas ao preço do leite, Vasco Cordeiro reafirmou que se está a viver uma situação que “não é apenas no mercado dos laticínios dos Açores” em que o preço do leite pago à produção já foi mais alto”, considerando, contudo, que “há alguns sinais encorajadores ao nível da procura de laticínios, que não de leite”.

Reiterando a preocupação com a abstenção, Vasco Cordeiro sustentou que “se tivesse a possibilidade de resolver esta parte, resolveria”, e repetiu que o objetivo no domingo é ganhar e, “com estabilidade, o PS ter oportunidade de concretizar as propostas que tem para o futuro dos Açores”.

À pergunta sobre o que faria o PS no caso de uma vitória do PSD com maioria relativa, Vasco Cordeiro declarou que “é uma questão puramente académica e não é de académico” que neste momento se está a tratar.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.