PS e PSD preocupados com encerramento do curso de gestão em Angra

PS e PSD preocupados com encerramento do curso de gestão em Angra

 

Lusa/AO online   Regional   27 de Mar de 2015, 16:20

PS e PSD partilharam a preocupação por um possível encerramento do curso de gestão no campus de Angra do Heroísmo da Universidade dos Açores, embora tenham trocado acusações quanto à responsabilidade pela situação.

 

Mais de 500 pessoas assinaram uma petição em defesa da manutenção do curso, que foi discutida hoje, em Angra do Heroísmo, na Comissão de Assuntos Sociais da Assembleia Legislativa dos Açores.

Sara Matos, primeira subscritora da petição, alertou os deputados para a importância da licenciatura em gestão na ilha Terceira, tendo em conta a elevada adesão com que contava e por ser um curso que promovia o autoemprego.

O curso de gestão, que já existia há vários anos no polo de Ponta Delgada, abriu em Angra do Heroísmo, em 2010, mas em 2014 não abriu o primeiro ano da licenciatura, tendo em conta que uma nova legislação obrigava a que a acreditação dos cursos fosse feita por polo e não por universidade.

Segundo Sara Matos, em julho de 2014, numa reunião com os alunos, o reitor da Universidade dos Açores manifestou disponibilidade para pedir acreditação para a licenciatura em Angra do Heroísmo, de modo a que voltassem a abrir vagas em 2015.

No entanto, o prazo para o pedido de acreditação terminou em dezembro sem que a academia açoriana o tivesse feito, por isso, pelo segundo ano consecutivo, o primeiro ano do curso não vai abrir em Angra do Heroísmo.

A peticionária disse que se sentiu "injustiçada", tendo em conta que tirou um curso tecnológico em contabilidade com intenção de prosseguir os estudos em gestão no polo de Angra do Heroísmo e nunca compreendeu "as verdadeiras razões para o fim do curso".

Tal como Sara Matos, "a maioria dos colegas" estava interessada em ingressar no curso de gestão e apesar de muitos já terem perdido a esperança de que isso venha a acontecer, ainda existe procura.

Para Sara Matos, um possível encerramento da licenciatura em gestão coloca também em causa a tripolaridade da Universidade dos Açores (Ponta Delgada, Angra do Heroísmo e Horta), já que o polo de Angra fica "resumido" a cursos de ciências agrárias e perde cerca de 150 alunos.

A primeira subscritora da petição considerou ainda que as novas instalações do campus de Angra do Heroísmo, que representaram um investimento de 5 milhões de euros, ficam desaproveitadas com esta decisão.

Questionada sobre o funcionamento dos 2.º e 3.º anos do curso, Sara Matos disse que "a organização não era a melhor" e que muitas vezes os professores de Ponta Delgada se recusavam a deslocar-se a Angra do Heroísmo, o que obrigava os alunos a ter aulas por videoconferência.

A academia açoriana deu a possibilidade de os alunos se deslocaram para Ponta Delgada para terminarem o curso, mas a peticionária salientou que "nem todas as pessoas têm condições para estudar fora da sua ilha".

O deputado do PSD António Ventura destacou a "dinâmica" que o curso de gestão gerou em Angra do Heroísmo e a interação que existia com a sociedade e as empresas.

António Ventura salientou que o "pingue-pongue de culpas" entre a região e a República sobre a responsabilidade pela situação "não se tem traduzido na efetiva reabertura do curso".

Também Nuno Meneses, do PS, considerou que a redução de 150 alunos no campus de Angra do Heroísmo terá um impacto grande, lamentando que a universidade não tenha pedido a acreditação.

Nuno Meneses defendeu, no entanto, que o Governo da República deve dar o "financiamento adequado" para que a Universidade dos Açores possa manter o curso de gestão, acrescentando que o Governo Regional apoia a academia com um "complemento para assegurar a tripolaridade".

Em resposta, António Ventura reconheceu que a Universidade dos Açores é tutelada pelo Governo da República, mas sublinhou que "pela primeira vez o Governo Regional propõe reduzir o apoio à tripolaridade" em 18%.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.