PS diz que nenhuma estatística confirma dados do PSD sobre pobreza nos Açores

PS diz que nenhuma estatística confirma dados do PSD sobre pobreza nos Açores

 

Lusa/AO Online   Regional   27 de Abr de 2015, 14:26

A direção do PS/Açores disse hoje que não existem estatísticas que fundamentem as declarações do líder do PSD açoriano, Duarte Freitas, segundo as quais 70% dos agregados familiares da região vivem com menos 500 euros mensais.

"Importa esclarecer que não existe nenhuma estatística oficial, nem nenhum indicador que valide estes dados referidos pelo PSD", diz o Secretariado Regional dos Açores do PS, num comunicado que foi hoje lido em conferência de imprensa pela dirigente do partido Sara Brum, em Ponta Delgada.

Sara Brum referia-se a declarações recentes de Duarte Freitas sobre a pobreza no arquipélago, sublinhando a socialista que o líder do PSD/Açores tem dito que na região 70% dos agregados familiares vivem com menos de 500 euros mensais e existem 170 mil açorianos pobres.

A direção do PS/Açores diz que os dados mais recentes do Instituto Nacional de Estatística (INE) revelam que o rendimento disponível das famílias em 2011 era de 11.913 euros por açoriano, um valor "muito superior" ao apontado pelo PSD e também maior (em 398 euros) do que a média nacional.

Os socialistas sugerem que os números de que fala o PSD se baseiam nos mapas do Ministério das Finanças "do rendimento para determinação da taxa" do Imposto do Rendimento Singular (IRS), concluindo que, se assim for, os social-democratas revelam "irresponsabilidade e impreparação".

O PS vinca que o rendimento considerado para determinação da taxa de IRS não é igual ao "rendimento efetivo das famílias", uma vez que parte dele não é sujeito a imposto ou o IRS já foi deduzido previamente.

Por outro lado, os socialistas destacam que a percentagem de famílias nos Açores que estão nos dois primeiros escalões do IRS (70%) é igual à do conjunto do país (71%).

O PS quer, por isso, que o PSD diga em que dados oficiais, credíveis e concretos se baseia" para afirmar que há 70% de famílias nos Açores a viver com menos de 500 euros mensais e que "os Açores têm 170 mil pobres".

Confrontada com a taxa de beneficiários do Rendimento Social de Inserção (RSI) nos Açores, situada nos 7% da população, Sara Brum respondeu que é, efetivamente, das mais altas do país, mas sublinhou que equivale a 18 mil pessoas e que há, ainda assim, uma "discrepância muito alta" em relação aos 170 mil pobres apontados pelo PSD.

Por outro lado, associou esta taxa de RSI nos Açores ao "trabalho de proximidade" das "equipas da segurança social" junto "das pessoas com dificuldades", considerando que na região não há uma tentativa de "esconder as pessoas que têm dificuldades", mas antes um esforço de ir "ao encontro delas" e ajudá-las, "ao contrário" do que acontece no resto do país.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.