PS aposta em secretário regional para tirar município ao PSD


 

Lusa/AO Online   Economia   5 de Abr de 2017, 10:12

O PS aposta no secretário regional dos Transportes e Obras Públicas para conquistar o município de Ponta Delgada, tradicionalmente social-democrata, onde os socialistas, em 11 eleições autárquicas livres, apenas lideraram num mandato e em coligação com o CDS-PP.

A liderança única foi conquistada no ‘longínquo’ ano de 1989 e, com essa coligação, socialistas e centristas alcançaram quatro dos sete mandatos na autarquia, tendo os restantes três ficado nas mãos do PSD.

Antes, em 1985, os socialistas registaram a mais pesada derrota numa candidatura ao município de Ponta Delgada (12,7% dos votos), ficando mesmo atrás do Partido Renovador Democrático, que, como o PS, conquistou um mandato nesse ato eleitoral.

Quer antes, quer depois das eleições de 1989, o PSD teve sempre a maioria no maior município dos Açores, alcançando em 2005, com a recandidatura de Berta Cabral, o melhor resultado de sempre: cerca de 67% dos votos e sete dos nove mandatos.

Desde então, o PS tem aumentado a votação e o número de mandatos, na mesma proporção em que se regista uma diminuição de votos e mandatos por parte do PSD.

Nas últimas eleições autárquicas, em 2013, os socialistas atingiram o seu melhor resultado de sempre numa candidatura sem coligação, quando elegeram quatro vereadores e obtiveram cerca de 42% dos votos. O PSD conseguiu os cinco restantes.

Nas autárquicas de 01 de outubro, o presidente da Câmara Municipal, José Manuel Bolieiro (PSD), deverá ser recandidato.

O líder do PSD/Açores, Duarte Freitas, afirmou em fevereiro que o princípio é o de que os atuais quatro presidentes de câmara social-democratas na região se recandidatem este ano.

José Manuel Bolieiro foi vice-presidente de Berta Cabral no segundo mandato da social-democrata. Com a sua saída, a 31 de julho de 2012, para se dedicar à candidatura à presidência do Governo Regional dos Açores, José Manuel Bolieiro assumiu a presidência do município de São Miguel no dia seguinte.

Um ano volvido, o autarca encabeçou a lista para a câmara municipal.

À liderança da Câmara de Ponta Delgada também deverá apresentar-se o ex-líder do PSD/Açores Álvaro Dâmaso.

O militante social-democrata assumiu à imprensa que era “um propósito firme” ser candidato na qualidade de “não partidário” e à Lusa adiantou que prevê apresentar publicamente a sua candidatura em maio.

Às eleições de 01 de outubro, o primeiro candidato a anunciar-se foi, contudo, o do Partido Popular Monárquico, Rui Matos, de 49 anos, antigo líder do Partido Democrático do Atlântico, extinto por decisão do Tribunal Constitucional.

O PS (que governo o arquipélago) apresentou depois o nome do secretário regional Vítor Fraga, sem filiação partidária.

CDS-PP, BE e PCP, outros partidos com representação no parlamento dos Açores, ainda não anunciaram candidatos, mas, atendendo ao histórico neste município, a luta entre PSD e PS estará no centro das atenções.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.